WhatsApp fora do ar? Confere 10 audiovisuais alagoanos para assistir enquanto ele não volta

Todos os filmes estão disponíveis para exibição online

Por | Edição do dia 17 de dezembro de 2015
Categoria: Artigos | Tags: ,,,


Desde o início dessa quinta-feira o aplicativo WhatsApp está fora do ar. E claro, já surgiram outros aplicativos que tanto podem ser úteis como ele ou também tecnologias que o fazem funcionar tranquilamente. Sabemos que o APP além de ser uma ferramenta de entretenimento, também é muito útil para o trabalho.

Não vale se estressar. Por isso, catalogamos dez produções do audiovisual alagoano para você passar o tempo da melhor forma possível: consumindo cultura.

  • O que lembro, tenho

A idosa Maria vive num apartamento de classe média aos cuidados da filha Joana. Os sintomas de demência senil transportam Maria no espaço e no tempo, obrigando-a a reviver episódios de sua vida no interior. Enquanto a mãe é tomada por uma regressão gradativa, Joana assiste impotente.

Link para assistir: https://vimeo.com/83916899

  • Matador

Ele tem um serviço para terminar. Ela, um encontro marcado. O filme em preto e branco trabalha com a perspectiva de encontrar a resposta do que está acontecendo. É uma produção que deixa o suspense e responde no final:

Link para assistir: https://vimeo.com/72970154

 

  • Rua das Árvores

Um dos locais mais conhecidos da cidade de Maceió virou uma produção de cinema. De forma pura e tocante, conhecer a história da mulher, a rua e sua casa, mexe não só com nosso memória, mas também com o tempo.

Link para assistir: https://vimeo.com/81931962

 

  • Casamento é negócio?

Essa foi a primeira produção cinematográfica realizada em terras alagoanas. Guilherme Rogato, o “photo-artista” italiano, desembarcou em nossas terras e por aqui ficou, introduzindo o cinema no Estado.

Link para assistir: https://www.youtube.com/watch?v=4fThvnjO-Is&feature=youtu.be

 

  • Geração Z Rural

Thaysa e Patrícia são moradoras da Zona Rural de Alagoas e fazem parte da Geração Z, definida como aquela que não conhece o mundo sem as facilidades da tecnologia. Elas vêm de uma família essencialmente rural e diferente de todos eles, ainda que se utilizem do ‘pau-de-arara’ como meio de transporte e carreguem água em baldes para o uso doméstico diário, têm como objetos de uso constante seus tablets e celulares conectados a internet 24 horas por dia.

Link para assistir: https://www.youtube.com/watch?v=Cro1X7mC4Do&feature=youtu.be

 

  • Um vestido para Lia

É dia da Padroeira no povoado de Massagueira. Lia é filha da costureira e deseja muito um vestido novo para a festa. É engraçado na medida certa e remete à uma cultura tão nossa, a do povo alagoano, a do povo nordestino.

Link para assistir: https://www.youtube.com/watch?v=Plmmx4IexEk

 

  • Contos de Película

Uma sessão de cinema onde um crítico de cinema, um cinegrafista e um projecionista relatam suas experiências com a película cinematográfica.

Link para assistir: https://www.youtube.com/watch?v=0WBj3faF87Q&feature=youtu.be

 

  • Bendita

Duas irmãs que moram no sertão do estado de Alagoas decidem deixar tudo para trás e construir do zero um novo futuro na cidade grande. Quantas pessoas não têm o sonho de largar tudo no interior e viver as aventuras da cidade?

Link para assistir: https://vimeo.com/81332010

 

  • Exu – Além do bem e do mal

Legba, Bará, Eleguá, Tranca-rua, diabo, capeta… Exu é um dos orixás mais controversos da cultura afro. Interpretado muitas vezes como o diabo pelo catolicismo é constantemente associado ao mal em diversas leituras, até mesmo por alguns autores umbandistas do passado. Porém, o significado do mito Exu, tanto para a Umbanda, quanto para o Candomblé, vai muito além de tudo isso.

Link para assistir: https://vimeo.com/51492394

 

  • Interiores ou 400 anos de solidão

Interiores ou 400 Anos de Solidão não é um filme denúncia. Trata-se de um filme de estrada, que extrai um retrato humano de encontros com os viventes do sertão alagoano.  Ao mesmo tempo que busca subsídios na literatura e na teoria, no que se refere a linguagem o documentário não se furta ao diálogo com os principais filmes que retrataram o tema desde o Cinema Novo até hoje. Assimilando esses muitos olhares, em seu resultado o projeto apresenta uma visão própria e original do universo retratado.

Link para assistir: https://vimeo.com/58827761

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados