Vítima de violência deve parar de sofrer e denunciar agressor, afirma juiz

‘Se não denunciar, a violência vai se perpetuar’, afirmou o juiz Paulo Zacarias, titular do Juizado da Mulher de Maceió

Vítima de violência deve parar de sofrer e denunciar agressor, afirma juiz

‘Se não denunciar, a violência vai se perpetuar’, afirmou o juiz Paulo Zacarias, titular do Juizado da Mulher de Maceió

Por Dicom TJAL | Edição do dia 9 de março de 2021
Categoria: Alagoas, Justiça | Tags: ,,


O juiz Paulo Zacarias afirmou que vítimas de violência doméstica precisam parar de sofrer e denunciar seus agressores, para que a Justiça possa protegê-las. “A mulher nasceu para ser feliz. É preciso estancar as agressões e dar continuidade à vida, mas com felicidade, não sofrimento”, lembrou o titular do Juizado da Mulher de Maceió, em entrevista à TV Tribunal.

Ainda segundo o magistrado, qualquer atentado à vida da mulher deve ser denunciado, assim como as agressões à honra ou ao patrimônio. Vizinhos e síndicos de prédios podem auxiliar nesse trabalho. “Se ouvirem gritos de socorro, devem denunciar. Havendo a denúncia, o processo vai ser instaurado, a situação vai ser apurada e o agressor punido. Se não denunciar, a violência vai se perpetuar”.

O juiz Paulo Zacarias e os magistrados Fausto Magno, Phillippe Melo, Raul Cabus, Eric Baracho e Kleber Borba estão atuando, de 8 a 12 de março, na Semana da Justiça pela Paz em Casa, na Capital. A força-tarefa, que acontece em todo o país, busca concentrar esforços no julgamento de casos de violência doméstica e familiar.

Mais de 120 audiências estão previstas só em Maceió. “São audiências de justificação, para verificarmos se as mulheres com medidas protetivas estão em segurança ou se os homens estão descumprindo as medidas”, explicou o titular do Juizado.

Por conta da pandemia, as audiências ocorrem de forma virtual. Para Paulo Zacarias, esse modelo facilita o acesso à Justiça. “Creio que daqui pra frente isso vai ser uma constante”.

A força-tarefa em Maceió é coordenada pela Justiça Itinerante, que tem à frente a juíza Emanuela Porangaba. A Semana da Justiça pela Paz em Casa conta ainda com apoio do Ministério Público e da Defensoria Pública de Alagoas.

 

Audiências da Semana da Justiça pela Paz em Casa seguem até sexta (12), de forma virtual. (Foto Reprodução/ TV Tribunal)

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados