Violência nos estádios: veja o que motiva os agressores

Violência nos estádios: veja o que motiva os agressores

Por | Edição do dia 11 de maio de 2016
Categoria: Alagoas, Blog, Notícias | Tags: ,,,,,,


Idas aos estádios têm se tornado mais problemáticas devido à violência durante e depois das partidas. O episódio de selvageria que ocorreu nesse domingo (8), na partida final do Campeonato Alagoano, em que torcedores do CRB e do CSA envolveram-se em uma briga violenta, reforçou a ideia de muitas pessoas de manter distância dos jogos.

Apesar de campanhas pela paz nas redes sociais e ações de contenção do poder público, o comportamento agressivo dos torcedores fica mais difícil de controlar. E isso não é restrito a Alagoas- notícias de confusões entre torcidas rivais podem ser vistas em qualquer parte do mundo.

De acordo com a psicóloga Livia Vieira, o que leva o torcedor a ter essas atitudes de agressão é a necessidade da disputa, o ganhar ou perder. “O sentimento primário de competição os leva a atitudes animalescas de violência e agressão”.

O perfil dos agressores mostra pessoas sem escrúpulos, ou seja, sem educação e caráter. Possuem psicopatia, são egoístas e revoltados, com alto teor de estresse que é revertido em agressão e violência. Eles vêem na partida de futebol a oportunidade de externar sua personalidade agredindo quem for contra ao seu ‘time ideal’.

“São na verdade vândalos trajados de torcedores, que fazem da quadra de futebol ringue covarde de luta. Infelizmente muitos destes saem de casa já com sede de sangue e destroem o que de mais belo há numa partida de futebol: confraternização, alegria, companheirismo”, afirma Livia Vieira.

Medidas contra violência

Para impedir a violência nos jogos, medidas como impedir o consumo de bebida alcoólica nos estádios e proibir a entrada de fogos de artifício ou objetos que podem ser usados para agredir, já foram tomadas, mas não impediram brigas e ocorrências de violência de acontecer.

“A sociedade necessita de reeducação, de mais amor, fraternidade, mas isso parece algo inalcançável. Acredito que diversas chances já foram dadas. Chegaremos ao ponto, em clássicos, de ter a segregação das torcidas, ou seja, determinar a torcida que poderá comparecer na arquibancada”, finalizou a psicóloga Livia Vieira.

No decorrer da semana, após o governador Renan Filho determinar apuração da briga generalizada, a Polícia Militar e o Ministério Público Estadual (MPE) – a Polícia Civil está em greve – divulgaram medidas para tentar evitar a violência. Entre elas, o MP fez pedido de torcida única à Federação Alagoana de Futebol (FAF) para o jogo entre CRB e Vasco, pela Copa do Brasil, nesta quarta (11). Apenas os torcedores do time carioca poderão ir com camisas e símbolos de seu time.

Campanha nas redes sociais

Com a grande onda de violência nos estádios, também ganhou destaque o esforço de torcedores e famílias em Maceió para continuar a frequentar o Estádio Rei Pelé, principalmente. Através das redes sociais, eles fizeram campanha – antes do jogo – com a hashtag #paznosestádios. Mesmo com a confusão do domingo, eles não desistiram da conscientização e permanecem apelando ao bom senso dos torcedores e brigões de oportunidade.

Veja alguns exemplos:

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

Foto: Reprodução/Facebook

 

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados