VÍDEOS: Festa clandestina é encerrada pela CPC na Barra de São Miguel

A festa contava com aproximadamente 400 pessoas e os responsáveis foram detidos

VÍDEOS: Festa clandestina é encerrada pela CPC na Barra de São Miguel

A festa contava com aproximadamente 400 pessoas e os responsáveis foram detidos

Por Thatyana Ferreira - estagiária sob supervisão | Edição do dia 17 de fevereiro de 2021
Categoria: Alagoas, Polícia | Tags: ,,


 

Foto: Assessoria

Uma festa clandestina foi flagrada e encerrada pela Polícia Militar (PM) nesta terça-feira (16). A festa que aconteceu no Litoral Sul de Alagoas, na Barra de São Miguel, contava com a presença de aproximadamente 400 pessoas e descumpria todas as recomendações de prevenção que evitam a contaminação pela Covid-19.

A festa irregular foi descoberta devido a uma denúncia feita a guarnição comandada pelo aspirante a oficial Eduardo Gomes, com apoio da Laguna 1 e Laguna 2, equipes que integram uma mega operação da Polícia Militar na região, seguindo determinações do Secretário de Segurança, Alfredo Gaspar.

A multidão foi dispersada pelos policiais e os dois responsáveis, identificados como Guilherme Severino dos Santos Silva, de 25 anos, e Felipe Alberto Ramalho de Amorim, de 33 anos, foram encaminhados a uma delegacia da região para que seus depoimentos fossem colhidos. Possivelmente a festa clandestina foi organizada para comemorar o aniversário de Guilherme Severino, que completou ano nesta terça-feira (16). Menores de idade também estavam presentes no local, de acordo com a denúncia.

A Confederação Nacional de Municípios (CNM) publicou nesta terça-feira (16) uma nota pedindo a troca do comando do Ministério da Saúde e a interrupção da vacinação contra a Covid-19 em todo o Brasil.  A organização alega que o atual comando do Ministério da Saúde não assume as medidas necessárias para conter a crise sanitária em que se encontra o país.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Confira os vídeos do flagrante:

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados