“Vacina Pirata, Não!”: Procon reforça ação contra venda ilegal de vacinas pela internet

Campanha da Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor envolve ainda a Anvisa e a Polícia Federal

“Vacina Pirata, Não!”: Procon reforça ação contra venda ilegal de vacinas pela internet

Campanha da Secretaria Nacional de Defesa do Consumidor envolve ainda a Anvisa e a Polícia Federal

Por Assessoria | Edição do dia 5 de março de 2021
Categoria: Alagoas, Coronavírus, Notícias | Tags: ,,,,,


Com o início da vacinação contra a Covid-19, surgiu também a comercialização de vacinas falsas pela internet. E é visando combater esse tipo de ação criminosa, que o Instituto de Proteção e Defesa do Consumidor de Alagoas (Procon-AL) está reforçando a importância da campanha “Vacina Pirata, Não!”, lançada pela Secretaria Nacional do Consumidor (Senacon), do Ministério da Justiça e Segurança Pública (MJSP).

Campanha procura alertar consumidores sobre a falsa venda dos imunizantes. Foto: Reprodução

O intuito da campanha é reforçar ao consumidor que a distribuição do imunizante está sendo feita apenas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), de forma gratuita.O órgão federal está analisando mais de duas mil páginas virtuais suspeitas de estar oferecendo supostas vacinas contra o novo coronavírus, ou induzindo, de algum modo, o consumidor ao erro. Além do MJSP, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA) e a Polícia Federal (PF) também estão integrando a ação.

O diretor-presidente do Procon Alagoas reafirmou a atuação do órgão estadual na ação de combate a venda de imunizantes que não têm comprovação científica alguma: “O Procon de Alagoas está atento e reforça a importância de que os consumidores não adquiram vacinas que possam comprometer sua saúde. Em caso de possíveis irregularidades, estamos à inteira disposição da comunidade para receber denúncias”, disse

Daniel Sampaio.A participação da população é de fundamental importância para que a ação dos órgãos de fiscalização contra as vacinas piratas seja ainda mais rápida e eficaz. Quem se deparar com sites ou anúncios de vendas do imunizante pode denunciar à Secretaria Nacional do Consumidor por meio de um canal exclusivo criado no e-mail vacinapiratacncp@mj.gov.br.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados