Uso de aplicativos para exercícios exige cuidados

Uso de aplicativos para exercícios exige cuidados

Por | Edição do dia 30 de agosto de 2016
Categoria: Notícias, Saúde | Tags: ,,,,,


Com a correria do cotidiano, pode ser difícil manter uma rotina de exercícios físicos numa academia. A alternativa encontrada por alguns praticantes é desenvolver as atividades em casa, contando com a ajuda de aplicativos de celular que auxiliam na execução dos exercícios. Porém, é preciso estar alerta para os cuidados que devem ser tomados na hora de usar esse tipo de serviço.

O estudante Philipi Accete, de 21 anos, baixou um aplicativo de exercícios físicos por questão de economia. “Infelizmente, as academias que ficam próximas à minha casa são muito caras, busquei o serviço para poupar dinheiro”, afirma. Ele usou o Nike+ Training Club, criado em 2009 pela Nike e lançado em nova versão esse ano, com a promessa de ser “o seu personal trainer de bolso”.

As vantagens do app, segundo o universitário, são as inúmeras possibilidades que ele oferece. “Assim que você baixa, deve fazer um cadastro no sistema e a partir disso escolher o que quer: emagrecer, ganhar massa muscular, melhorar o condicionamento físico. Ele te dá a opção de selecionar o que você tiver à disposição de equipamentos, como pesos, esteiras, etc. Como eu não tinha nenhum desses materiais, todos os meus exercícios exploravam o próprio peso do corpo”, explica.

O aplicativo é bem organizado e didático. Antes de começar o programa de treino, o Nike+ Training Club faz uma espécie de triagem para saber o quão bem o praticante está e qual a dosagem certa da carga de exercícios. Durante a prática, uma orientadora virtual explica como o movimento deve ser feito, qual parte do corpo você deve “sentir” (coxa, braço, quadril), o que não deve “sentir” (joelho, por exemplo) e fala frases de motivação como “falta pouco” e “você está quase lá”.

No app, é possíve visualizar como o exercício deve ser executado (Imagem: divulgação)

No app, é possível visualizar como o exercício deve ser executado (Imagem: divulgação)

Também existe o tempo de descanso entre um exercício e outro, como na academia, com momentos para aquecimento e desaceleração. “É um app bem completo e melhor ainda, gratuito. Além de tudo isso, eu ainda recebia avisos sobre os treinos, por meio de notificações no celular”, defende Philipi, satisfeito com sua escolha.

Outro adepto dos aplicativos da Nike é o estudante Eduardo Lyra, que procurou um app como forma de preparação para a academia. O serviço que o jovem de 17 anos usa calcula quantos quilômetros a pessoa correu e em qual velocidade média.

“Comecei a usar o Nike+ Run Club em 2013, quando eu estava no início da obesidade e pensei que seria um passo certo a tomar, antes de procurar uma academia. Depois de dois meses, já me senti com o condicionamento físico suficiente”, conta Eduardo, que hoje frequenta a academia e continua utilizando o aplicativo.

Riscos

A educadora física Klê Abreu reconhece as vantagens dos aplicativos pela facilidade do acesso e diminuição dos custos para quem quer se tornar mais ativo, entretanto, alerta para os riscos da falta de acompanhamento profissional. “É preciso estar atento às necessidades de cada um, pois o treino deve ser algo específico e individual. Os riscos de lesão são altos para atividades não apropriadas para o praticante”, afirma.

“Muitos dos serviços oferecidos nessas plataformas vêm de blogueiras que, por treinarem muito tempo, se acham capazes de repassar treinos para outras pessoas, mesmo sem possuir a capacidade teórica para isso. A rotina delas não pode e não deve ser seguida por alguém com falta de condicionamento físico, isso é um perigo”, alerta a educadora.

Klê Abreu diz ainda que é comum ver na execução dos exercícios uma compensação de peso na coluna vertebral que pode acarretar desvios de postura, dores e hérnias. Mesmo que não aconteça no momento da prática, pode acontecer a longo prazo.

Cuidados

De acordo com a educadora física, o ideal para quem quer fazer exercícios por conta própria é consultar um profissional da área, para ter certeza de que não vai correr nenhum risco.

Consultar um profissional é essencial para evitar riscos (Imagem: reprodução).

Consultar um profissional é essencial para evitar riscos (Imagem: reprodução).

Para as pessoas com doenças crônicas como hipertensão, diabetes, cardiopatias e doenças respiratórias, é necessário um cuidado redobrado na hora de praticar exercícios físicos. “Algumas atividades podem acarretar em crise e pioras da doença, levando até a uma internação”, explica.

“Não é necessário contratar alguém para estar do seu lado durante a prática, mas é importante consultar um especialista em educação física para avaliar o tipo de exercício e tirar dúvidas. Qualquer pessoa pode praticar atividade física, o importante é identificar qual a ideal e executar da melhor maneira para que só cause bem-estar e proporcione saúde, e não o contrário”, finaliza Klê.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados