Tudo indica que a hora de Bolsonaro deixar o poder está chegando

Mais da metade da população brasileira considera o governo do militar que foi expulso do Exército como ruim ou péssimo.

Tudo indica que a hora de Bolsonaro deixar o poder está chegando

Mais da metade da população brasileira considera o governo do militar que foi expulso do Exército como ruim ou péssimo.

Por Antonio Pereira | Edição do dia 17 de setembro de 2021
Categoria: Opiniões | Tags: ,,,,,,


Suspeitas de enriquecimento ilícito. Malversação do dinheiro público. Incompetência generalizada. Corrupção na compra de vacinas. Mansões compradas pelo filho zero um e pela ex-mulher de forma suspeita. Tudo isso acrescentado de que o Brasil vive a sua pior crise da história, levam a o povo querer a saída de Jair Bolsonaro e seus filhos do poder.

Mais da metade da população brasileira considera o governo do militar que foi expulso do Exército como ruim ou péssimo. Apenas pouco mais de 20% ainda o apoiam, muitos calçados em pautas da extrema direita e notícias falsas a torto e a direito.

Jair Bolsonaro deverá entrar para a história como o pior presidente que já sentou na cadeira. Ele foi eleito em cima de um grande plano internacional para tirar o principal candidato do páreo. Assim, um ex-juiz federal manobrou, juntamente com procuradores federais para que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva não figurasse na urna na eleição de 2018.

Teve ainda o episódio ainda nebuloso da facada que teria sofrido Bolsonaro nas ruas da cidade mineira de Juiz de Fora por um cidadão, identificado como Adélio Bispo. Esta facada teve recentemente mais um episódio, quando do lançamento do documentário produzido pela TV 247 com o jornalista Joaquim de Carvalho, que levantou inúmeras lacunas que não foram devidamente investigadas pela Polícia Federal.

Bolsonaro tem galgado um caminho de destruição das instituições brasileiras, exatamente porque sabe que não poderá vencer a eleição no próximo ano. Então, ele e seus seguidores mais raivosos elegeram o STF e parte do Congresso Nacional como inimigos mortais. Eles apostam no caos, na bagunça generalizada. O último levante desse tipo aconteceu no dia 7 de setembro, quando bosonaristas de todas as matizes foram a Brasília e São Paulo com o real objetivo de fechar o Supremo, Congresso, instaurando uma ditadura com Bolsonaro no posto de ditador perpetuo no Brasil.

O plano bolsonarista, por hora, não deu certo. Pelo contrário, Bolsonaro agora é refém de uma narrativa transloucada, que pode levar o país ao abismo.

Felizmente, o povo brasileiro em sua maioria está contra essa aventura amalucada de alguém que, reconhecidamente, não tem a menor capacidade de exercer o cargo que agora está ocupando.

Totalmente afeito ao trabalho, Bolsonaro jogou o país num atoleiro econômico parecido com o que acontecia nas décadas de 80 e 90. Milhões de brasileiros na miséria. Milhões desempregados. Quase 600 mil mortos pela Covid, graças a falta de vacinas a tempo para que a população pudesse se imunizar adequadamente.

Na cola de Bolsonaro estão deputados, senadores, ministros do Supremo e boa parte da imprensa corporativa. O que ainda mantém ele vivo politicamente são seus aliados do agronegócio, grupos milicianos e evangélicos. Mas, com o passar do tempo, até mesmo estes setores acabam se virando contra o ex-militar que se mostrou o pior presidente da história.

Pelas contas normais, Bolsonaro ainda tem um pouco mais de 13 meses de governo. A grande aposta é se ele conseguirá se sustentar todo esse tempo.

Vamos ver.

Visite minhas redes sociais:

Facebook – https://www.facebook.com/toinhopereira

Instagram – https://www.instagram.com/toinho_pereira0748/

Twitter – https://twitter.com/antoniotoinho07

https://tribunahoje.com/?post_type=post&p=477289

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados