Tuberculose: diagnóstico precoce e tratamento adequado são essenciais

Apesar de ser uma das enfermidades mais antigas de que se tem registro, ela ainda mata cerca de 5 mil brasileiros por ano, apesar de ter cura

Tuberculose: diagnóstico precoce e tratamento adequado são essenciais

Apesar de ser uma das enfermidades mais antigas de que se tem registro, ela ainda mata cerca de 5 mil brasileiros por ano, apesar de ter cura

Por Assessoria | Edição do dia 24 de março de 2021
Categoria: Saúde | Tags: ,,,


Foto: Reprodução

Esta quarta-feira, 24 de março, é o Dia Mundial da Tuberculose, uma das doenças mais antigas do mundo, mas que ainda mata cerca de um milhão de pessoas anualmente em todo o planeta e cerca de 5 mil delas no Brasil, segundo levantamento do Ministério da Saúde. Os índices são altos e preocupantes, sobretudo por se tratar de uma doença curável em praticamente todos os casos, desde que o tratamento seja feito corretamente.

A infectologista e professora do curso de Medicina do Centro Universitário Tiradentes (Unit/AL), Sarah Dominique Dellabianca, alerta que o diagnóstico precoce é importante para que o paciente possa receber o tratamento adequado, evitar as complicações da tuberculose e a transmissão na comunidade.

“É importante estar atento aos sintomas: tosse inicialmente seca e posteriormente produtiva (com secreção), febre normalmente vespertina, sudorese, cansaço excessivo e falta de apetite, perda de peso e rouquidão. Há casos de pacientes que não exibem sinais da doença de imediato ou apresentam sintomas mais leves, o que pode confundir e retardar o diagnóstico correto”, esclarece Sarah Dominique.

Estudos feitos pelo Ministério da Saúde revelam que cada paciente com tuberculose sem tratamento pode infectar, em média, de 10 a 15 pessoas por ano. A transmissão é direta, de pessoa para pessoa, e se dá através da eliminação da Mycobacterium tuberculosis (MTB), ou bacilo de Koch, pelos aerossóis expelidos no ato de tossir, espirrar, cantar, falar.

“Após o diagnóstico, o paciente deve ser afastado de suas atividades até que inicie o tratamento e apresente exame de escarro negativo. O tratamento é simples através do uso de comprimidos conforme o peso do paciente”, assinala a infectologista.

Tratamento e recomendações

O tratamento contra a tuberculose é padronizado e compreende duas fases, de acordo com as recomendações do Ministério da Saúde: a Fase Intensiva ou de ataque, e a Fase de Manutenção.

A Fase Intensiva tem duração de dois meses, mas pode ser prorrogada de acordo com os resultados de exames de acompanhamento, e busca reduzir e eliminar rapidamente os bacilos da tuberculose, para diminuir o contágio. Já a Fase de Manutenção dura quatro meses, também podendo ser estendida, e busca eliminar os bacilos latentes ou persistentes, reduzindo a possibilidade de o paciente ter a doença novamente, de maneira recidiva.

“A tuberculose tem cura e é tratada exclusivamente pelo SUS. É essencial realizar todo o tratamento durante seis meses, evitando abandonos e casos recidivos no futuro. A melhora do quadro antes deste período não significa cura da doença e o paciente que interrompe o protocolo pode criar resistência aos antibióticos utilizados no tratamento”, avalia a especialista.

As recomendações para o período de tratamento incluem a utilização de máscara e organizar o ambiente onde o paciente mora para permitir melhor ventilação e entrada de luz solar. O acompanhamento com médico deve ser mensal, a fim de identificar queixas, sinais e sintomas da evolução e/ou regressão da tuberculose com o tratamento, monitoramento do peso para ajustes dos medicamentos e a ocorrência de reações adversas.

Sarah Dominique destaca que quem apresentar tosse persistente por mais de duas semanas deve buscar atendimento numa unidade de saúde para realizar o diagnóstico da tuberculose. Um desses pontos de atendimento pode ser a Policlínica da Unit/AL, que disponibiliza consultas gratuitas com infectologistas.
Clínica médica

A Policlínica da Unit/AL está localizada no Campus Amélia Maria Uchôa, na Avenida Gustavo Paiva, 5017, Cruz das Almas, e oferece atendimentos gratuitos nas áreas de Infectologia, Ginecologia, Medicina da Família e Comunidade, Clínica Médica, Cardiologia, Dermatologia, Endocrinologia, Gastroenterologia, Obstetrícia, Reumatologia, Ortopedia, Psiquiatria, Neurologia, Nefrologia, Pediatria e Geriatria.

Para garantir atendimento médico, o interessado deve fazer primeiramente o agendamento pelos telefones 3311-3209 e 98886-6911, de segunda à sexta-feira, das 8h às 12h e de 13h às 16h.
Os atendimentos ambulatoriais acontecem de segunda à sexta-feira, das 7h às 20h, com qualidade garantida pelo corpo docente de médicos da Unit/AL, que acompanha de perto as consultas realizadas pelos estudantes em períodos finais dos cursos de Medicina, e obedecendo a todos os protocolos de biossegurança e distanciamento social.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados