Trabalhadores dos Correios em AL paralisam atividades a partir desta terça

Por Redação | Edição do dia 18 de agosto de 2020
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,,


Assembleia da categoria realizada na noite desta segunda-feira, 17. Foto: Sintect/AL

Os trabalhadores dos Correios em Alagoas entraram em greve a partir desta terça-feira, 18, e devem permanecer paralisados até que direitos da categoria sejam restabelecidos, informou o Sindicato dos Trabalhadores na Empresa de Correios e Telégrafos em Alagoas (Sintect/AL).

Uma assembleia da categoria foi realizada na noite desta segunda-feira, 17, na Praça Centenário, em Maceió, onde dezenas de carteiros, operadores de triagem e atendentes comerciais optaram por cruzar os braços em protesto as condições de trabalho oferecidas pela administração nacional e estadual dos Correios, informou o Sintect/AL por meio de nota.

O sindicato ainda informou que a categoria sofreu perda de “praticamente todas as conquistas asseguradas nos últimos trintas anos”.

O sindicato também critica a atual superintendência da estatal em Alagoas ao dizer que ela promoveu descaso com assuntos da empresa, falta de apreso com os servidores e não moveu esforços para que os direitos dos funcionários fossem assegurados. Esses fatos teriam provocado insatisfação e levado os trabalhadores a optarem pela greve.

“A direção da ECT [Empresa Brasileira de Correios e Telégrafos] persegue dois perversos objetivos: a atratividade da empresa ao diminuir salários e outas conquistas econômicas da categoria e a demissão de milhares de trabalhadores, garantindo assim a sua privatização com a entrega deste patrimônio nacional aos especuladores financeiros”, expôs o sindicato em nota.

Os trabalhadores na capital se concentram nesta terça no atual Centro de Logística de Maceió, localizado no Distrito Industrial. Além dos funcionários em Maceió, no interior também ocorre mobilização. Em frente a agência central de Arapiraca e em outras agências do interior, mais servidores cruzam os braços em prol de melhores condições de trabalho.

Resposta

Também por meio de nota, os Correios se manifestaram e informaram que estão prestando os serviços normalmente e que desde o início das negociações com entidades sindicais tiveram como objetivo cuidar da saúde financeira da estatal, por isso, a concessão de benefícios foi repensada por extrapolar a prática do mercado e a legislação vigente.

“A diminuição de despesas prevista com as medidas de contenção em pautal é de ordem de R$600 milhões anuais. As reivindicações da Fentect, por sua vez, custariam aos cofres dos Correios quase R$1 bilhão no mesmo período – dez vezes o lucro obtivo em 2019. Trata-se de uma proposta impossível de ser atendida”, informaram em trecho de nota.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados