Terra perdeu 60% de seus animais silvestres em 44 anos

Relatório Planeta Vivo mostra que Brasil está na região que mais sofre com a perda de biodiversidade

Terra perdeu 60% de seus animais silvestres em 44 anos

Relatório Planeta Vivo mostra que Brasil está na região que mais sofre com a perda de biodiversidade

Por | Edição do dia 30 de outubro de 2018
Categoria: Meio Ambiente, Notícias | Tags: ,,,


No dia 30 de outubro, dois dias depois o segundo turno nas eleições, os principais desafios ambientais do novo presidente do Brasil serão discutidos e a comunidade ambiental estará com os olhos voltados para o lançamento do Relatório Planeta Vivo 2018 (Living Planet Report 2018) do WWF. O lançamento ocorre no dia 30 de Outubro em mais de 100 países. No Brasil, o lançamento é realizado nessa mesma data, a partir das 8h30, no Museu do Meio Ambiente do Jardim Botânico do Rio de Janeiro.
30-07-13_cid1300913O Relatório Planeta Vivo é publicado a cada dois anos pelo WWF e, ao longo de vinte anos, se estabeleceu como a referência global sobre o estado de nosso planeta, biodiversidade e vida selvagem. São monitoradas tendências entre populações de espécies de vertebrados em todo o mundo e outros indicadores como Pegada Ecológica e limites planetários.

Esse relatório revela um grau impressionante de impacto humano no planeta. A forma como alimentamos, abastecemos e financiamos nossa sociedade está levando a natureza e os benefícios que ela nos fornece ao limite. Um dos indicadores usados no relatório indica que as populações de peixes, aves, mamíferos, anfíbios e répteis diminuíram em média 60% entre 1970 e 2014. As principais ameaças às espécies identificadas no relatório estão diretamente ligadas às atividades humanas, incluindo perda e degradação de habitats e exploração excessiva da vida selvagem.

E o Brasil? Estamos na região que mais sofre com a perda de biodiversidade. A estimativa é que desde a década de 1970 o tamanho das populações das espécies que habitam as Américas do Sul e Central tenham sido reduzidas em 89%. Neste mesmo período, 20% da Amazônia desapareceu. Especialistas indicam que, com um desmatamento acima de 25%, este ecossistema chegará ao “ponto de não retorno” para entrar em colapso, deixando de ser uma floresta.

O documento mostra a oportunidade que a população mundial tem de proteger e restaurar a natureza até 2020, um ano crítico em que os líderes devem rever o progresso alcançado nos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, no Acordo de Paris e na Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB). A natureza consegue se recuperar de forma impressionante. O que precisamos fazer é dar uma chance pra isso acontecer.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados