Levando diversidade, amor e cultura para o povo alagoano, a 20ª edição da Parada LGBT+ de Maceió acontece no dia 31 de julho, na orla de Cruz das Almas.

No dia 26, um evento de abertura acontecerá para apresentar a Parada, que ocorre de forma gratuita e conta com apresentações artísticas, palestras, feiras de empreendedores locais e o tradicional trio elétrico.

Este ano o tema da Parada será “Discurso de ódio não é opinião", enfatizando a importância de se construir uma sociedade onde nenhuma pessoa tenha o direito de emitir palavras que sejam contrárias à existência de outras pessoas. Mais detalhes sobre os artistas e palestrantes serão disponibilizados nos próximos dias.

O evento é um oferecimento da Secretaria de Estado da Cultura de Alagoas (Secult), e é organizado pelo Grupo Gay de Alagoas (GGAL) , Centro de Acolhimento Ezequias Rocha Rego (CAERR) e o Grupo Mães da Resistência.

A proposta desta edição é valorizar as personalidades LGBTQIA+ de Alagoas e criar um espaço que além de festivo, também possa oferecer cultura, informação e orgulho para a população. Desta forma, além do domingo, também será montado no sábado um palco na praça Marcilio Dias onde bandas e artistas transformistas se apresentarão a partir das 18h.

Com 25 anos da primeira Parada LGBT+ realizada em São Paulo, o evento hoje marca presença em todo o Brasil e é considerado por muitos como um dos maiores do país. A Parada se destaca em sua importância política, social, e econômica.

Em Alagoas, o evento continua acontecendo há duas décadas e vem fazendo história em todo o estado. Em Maceió, as edições de 2016 e 2018 somam mais de 180 mil pessoas reunidas lutando, festejando e se orgulhando de serem LGBTQIA+.

Foto: Reprodução

A programação local da Rádio Senado Cidadã foi inaugurada, na manhã desta quinta-feira, (19), com o programa Cidadã Informal, apresentado por Geraldo Câmara e Valtenor Leôncio. A abertura contou com a participação do presidente da Associação dos Membros dos Tribunais de Contas do Brasil (Atricon), Cezar Miola; do diretor da Escola de Contas, conselheiro Rodrigo Siqueira; do Promotor e Coordenador do Núcleo de Defesa da Educação, Lucas Saschida e o do Diretor de Comunicação da Câmara de Vereadores, Marcos Rodrigues.

Além da apresentação do projeto “Sede de Aprender: Água potável nas escolas”, Cézar Miola falou sobre a importância do rádio e da informação para sociedade. “O rádio cumpre bem democraticamente esse propósito da informação chegar ao cidadão. A Rádio Senado tem a programação de muita qualidade, então é importante saber que ela já estava sendo ouvida aqui por um canal próprio, e que agora o Tribunal de Contas se insere de uma maneira mais objetiva, com programação diária local, isso só tende a valorizar o próprio Tribunal”, conclui.

Acompanhe a cobertura completa da inauguração da programação local da FM Senado (105.5) no programa TC News, no YouTube. O Cidadã Informal está disponível para download, acesse https://we.tl/t-ENxS7pmASH

Promover a troca de conteúdo por meio de um canal relevante como fonte de informação e entretenimento. Foi com esse objetivo, que Equatorial Alagoas lançou o “Pod Se Ligar”, um podcast que busca ampliar o relacionamento com o cliente com a divulgação de informações de forma dinâmica e descontraída sobre segurança, economia e consumo consciente de energia elétrica.

Ao todo, serão disponibilizados cinco episódios e os dois primeiros já estão no arpor meio do canal oficial da Distribuidora no aplicativo Spotify. No primeiro episódio, os alagoanos poderão conferir dicas simples de ações que podem fazer uma boa diferença na fatura de energia elétrica.

O bate-papo, é focado nos equipamentos em Standby que consiste em um “modo de espera” dos aparelhos eletrônicos, o que facilitaria mais na hora de “ligá-lo” novamente, mas que é considerado um dos grandes vilões e que contribuem no aumento da conta de luz.

O segundo episódio, que também já está no ar, aborda diversas dicas de segurança que devem ser levadas em consideração para evitar acidentes envolvendo energia elétrica como curto-circuito e choques elétricos, principalmente em áreas molhadas como casas de praia e a proximidade da piscina.

Sobre o projeto

Atentos aos novos contextos de trabalho e comunicação o lançamento do podcast, faz parte de uma série de ações estratégicas que serão desenvolvidas pelo time de Comunicação, Marketing e Sustentabilidade da empresa neste ano de 2022.

A executiva de comunicação da Equatorial Alagoas, Isa Mendonça, explica a importância do projeto que acompanha as principais tendências de comunicação da atualidade apostando na popularidade das plataformas de áudio que podem fazer uma grande diferença na vida das pessoas, incluindo o público-alvo que são os consumidores alagoanos.

“Esse projeto busca trazer conhecimento e informação para o cotidiano das pessoas por meio de uma ferramenta prática como o áudio. O primeiro passo foi estudarmos a melhor forma de proporcionar esse diálogo leve junto aos nossos clientes que estão cada vez mais conectados a novos canais e buscam informações de qualidade. Disseminar conteúdos de segurança e consumo consciente é uma das principais missões da empresa principalmente com a utilização de adventos tecnológicos”, ressalta a executiva.  

Para acompanhar os episódios do “Pod Se Ligar”, basta acessar: https://cutt.ly/QAhMW2m

Para manter o alagoano ainda mais informado, o Governo de Alagoas aliou tecnologia à inovação e lançou nesta sexta-feira (30), por meio dos canais oficiais do Estado no Instagram (@governodealagoas) e no Facebook (Governo de Alagoas), mais uma plataforma de comunicação: o podcast Alagoas Manda Bem, disponível gratuitamente no serviço de streaming digital Spotify.

Comandado pela jornalista Kelly Cordeiro, o novo produto da Secretaria de Comunicação de Alagoas (Secom) trará semanalmente as principais notícias e vai aproximar, ainda mais, o cidadão das novidades, ações e entregas da gestão pública estadual.

“Usar ferramentas e criar produtos para aproximar o cidadão da gestão é um dos princípios da comunicação. Este mês, também lançamos o novo portal do Governo (alagoas.al.gov.br ), com visual remodelado, melhor navegabilidade e conteúdo multimídia, assim, vamos acessando várias esferas e dando unidade à nossa comunicação”, assegurou o secretário de Comunicação de Alagoas, Enio Lins.

O primeiro episódio trouxe boas notícias para o alagoano: concursos na educação, destaque do programa Vida Nova Nas Grotas (VNG) em publicação de referência, vacinação e novos investimentos para regiões Sul e Sertão.

O concurso da educação – o maior já realizado pelo estado na área – está com inscrições abertas e oferta 3 mil vagas para professores de todas as disciplinas. Já o programa VNG ficou entre os 51 projetos arquitetônicos que compõe a 2ª edição do Guia IAB para agenda 2030. O episódio também anuncia a vacinação dos adolescentes e os vários investimentos no estado. Confira quais são, escutando o podcast Alagoas Manda Bem: https://open.spotify.com/show/0HdPZ7VqmgbWZfggcj1tA5

(Divulgação)

(Divulgação)

Para tentar conter a onda de desinformação no Facebook, a rede social lançou um recurso no Brasil que dá contexto às notícias que aparecem no feed de notícias dos usuários.

O botão de contexto, como é chamado pela empresa, funciona nos Estados Unidos e este mês foi expandido para Brasil, Argentina, Colômbia e México.

"Anunciamos também ferramentas adicionais para proporcionar mais contexto às pessoas, para que elas possam decidir por si mesmas o que ler, confiar e compartilhar", disse a empresa em comunicado.

A ideia é que usuários possam avaliar a credibilidade das fontes das notícias e conteúdos que leem na plataforma.

Elaborada com acadêmicos, a ferramenta facilita o contexto dos fatos publicados, com artigos relacionados sobre o mesmo tópico, quantas vezes foi compartilhado, bem como uma descrição da Wikipedia -site colaborativo e sem fins lucrativos -sobre o veículo de comunicação.

O Facebook diz que, quando um veículo não tiver uma descrição na Wikipedia, ele indicará que a informação não está disponível. A empresa de Mark Zuckerberg anunciou outras duas ferramentas de contexto ao leitor: um link com uma amostra de outras histórias recentes do veículo e a possibilidade de ver quais amigos da rede social compartilharam a notícia.

"Também iniciamos um pequeno teste nos EUA para ver se é mais fácil avaliar a credibilidade de um artigo quando fornecemos mais informações sobre o autor dele. Nesse teste, as pessoas podem clicar no nome de um autor em um Instant Article para ver informações adicionais, incluindo uma descrição do autor na Wikipedia", diz a rede social.

As ferramentas, diz o Facebook, são desenvolvidas por um grupo diverso de pessoas e de veículos de comunicação. A rede social tem implementado mudanças para tentar combater a disseminação de notícias falsas em sua plataforma depois das últimas eleições americanas, pautadas pela influência de trolls e de táticas de desinformação usadas para atingir eleitores.

Recentemente, o Facebook anunciou mudanças também no WhatsApp, aplicativo que pertence ao mesmo grupo econômico. O aplicativo de mensagens instantâneas alerta quando uma mensagem é encaminhada de outro usuário para que as pessoas saibam que pode se tratar de uma corrente de informação, estratégia muito comum de campanhas eleitorais.

(Foto: Assessoria)

(Foto: Assessoria)

O município de Marechal Deodoro sedio o “Seminário de Saúde e Tecnologia: Inovação e Ferramentas Práticas para Ajudar a Vencer os Desafios na Atenção Básica”, um evento que discutiu com profissionais da saúde sobre como o uso da tecnologia pode ajudar e transformar os serviços de saúde nos municípios. O evento aconteceu no auditório do Campus Veterinário do (Cesmac), em Marechal Deodoro.

Durante toda essa quinta (07), secretários municipais de Saúde, coordenadores da atenção básica, profissionais de saúde e toda equipe da Secretaria de Saúde de Marechal Deodoro assistiram a palestras e participaram de oficinas sobre onze temas que relacionaram tecnologia, inovação e saúde.
De acordo com o secretário de Saúde de Marechal Deodoro, Aérton Lessa, o maior foco do evento foi despertar para secretários e profissionais da saúde a importância do uso da tecnologia na promoção da saúde.
“Mostramos aos profissionais médicos, enfermeiros, dentistas, secretários e coordenadores tanto de Marechal como das cidades vizinhas que a tecnologia não é mais bicho de sete cabeças, ela veio para ficar e já é realidade em muitos locais. O Ministério da Saúde vem obrigando a informatização das Unidades Básicas de Saúde e é preciso começar a entender de que forma a tecnologia pode ajudar a melhorar os serviços da saúde básica, de como podemos usar os dados fornecido por essas tecnologias para ajudar nos serviços ofertados e no monitoramento da população”, disse o secretário.
Durante todo do dia foram apresentados vários cases de sucesso, entre eles o monitoramento populacional realizado em Marechal Deodoro realizado por meio de SMS com as gestantes do município. O trabalho começou no ano passado no período após as enchentes quando a população vítima das chuvas passou a ser monitorada para saber se estavam com sintomas de doenças de veiculação hídrica. O sucesso foi tanto que a tecnologia passou a ser usada com outros grupos, a exemplo das gestantes do município. Das 330 gestantes acompanhadas no Circuito da Mulher, 280 já são monitoradas via SMS, um sistema gratuito, que por troca de mensagens no celular faz com que a geste se comunique diretamente com sua enfermeira, receba orientações e informe queixas.
Além disso, também foram apresentados casos de sucessos referentes ao uso de dados para o planejamento de ações, telemedicina, monitoramento de doentes crônicos, auxílio ao diagnóstico através da computação Cognitiva, entre outros.
A principal atração do seminário foi a palestras do CEO da TNH Health, o russo-canadense Michael Kapps, economista de Harvard, finalista do Prêmio Empreendedor Social da Folha de São Paulo, consultor do Vale do Silício nos EUA. Além de abordar as tecnologias mais usadas na área da saúde mostrando os resultados positivos, o empreendedor social lançou o projeto Cidade Inteligente Saudável, que trata do usos de uma série de novas tecnologias e métodos para melhorar a qualidade dos serviços de saúde e Marechal Deodoro foi o município escolhida como referência como uma das primeiras cidades inteligentes a adotar esse método inovador, rápido e com considerável redução nos custos assistenciais.
Durante o lançamento do evento, o prefeito Cláudio Filho Cacau destacou o sucesso do trabalho que vem sendo realizado no município.
“Ninguém muda a realidade de anos em poucos meses, mas estamos no caminho certo. Este seminário é de grande importância para mostrar os avanços que estão acontecendo e trocar experiências. Temos investido bastando em tecnologia, a exemplo do monitoramento e do uso dos tablets pelos agentes de saúde e os resultados já são excelentes. Temos 52 mil habitantes em Marechal e 47 mil já cadastrados”, disse o prefeito.
O seminário foi realizado pela Prefeitura de Marechal Deodoro, Instituto de Tecnologia em Informática e Informação do Estado de Alagoas (Itec); Conselho de Secretarias Municipal de Saúde de Alagoas (Cosems); Fundação Lemmann, Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Alagoas (Fapeal).

 

 

Situações de crise - como os desastres naturais, os atentados e os tiroteios - são um terreno favorável para as "fake news" (notícias falsas), cujos autores aproveitam a emoção do momento para tentar ampliar sua magnitude.

Um exemplo recente é o tiroteio de terça-feira que deixou três feridos na sede do YouTube, perto de São Francisco: as "fake news" surgiram e citaram "dezenas de mortos", ou tentaram envolver personalidades como Hillary Clinton no ataque. Alguns meios de comunicação informaram que a conta de um funcionário do site foi alvo de hackers.

O recente massacre em um colégio de Parkland, na Flórida, e as manifestações a favor do controle de armas também foram alvo de notícias falsas, geralmente com fins políticos. "São eventos traumáticos propícios para a divulgação de informações falsas e teorias da conspiração, porque geram um efeito de estupor", explica à AFP Rudy Reichstadt, diretor do observatório Conspiracy Watch, com sede em Paris.

Além das más intenções, da confusão e da precipitação em situações de crise, as notícias falsas também podem ganhar espaço pela falta de verificação da imprensa tradicional. (Foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)

Além das más intenções, da confusão e da precipitação em situações de crise, as notícias falsas também podem ganhar espaço pela falta de verificação da imprensa tradicional. (Foto: Caio Gomez/CB/D.A Press)

"Quando vemos uma notícia que nos marca, ou choca, buscamos explicações e, na falta de informações, nos ligamos a teorias, inclusive as mais improváveis", completa. Um estudo do MIT, prestigioso instituto de pesquisa americano, publicado no mês passado na revista "Science" aponta que as notícias falsas tendem a viralizar nas redes sociais de modo mais rápido que as notícias verdadeiras, independentemente do tema.

'Clickbaits'

De acordo com as conclusões do estudo, enquanto no Twitter as notícias verdadeiras raramente são compartilhadas por mais de mil pessoas, 1% das notícias falsas mais populares alcançam entre mil e 100.000 pessoas. Além disso, as verdadeiras demoram seis vezes mais tempo do que as "fake news" para alcançar 1.500 pessoas.

Os autores do estudo determinaram ainda que as notícias falsas mais virais envolvem a política, à frente das lendas urbanas e da economia. A categoria "terrorismo e guerra" aparece em quarto lugar, seguida por desastres naturais. Os perfis e as motivações dos que produzem e propagam as "fake news" são diversos.

Reichstadt disse que "há empresários da teoria da conspiração, que reescrevem os fatos atuais de forma instantânea e permanente (...) em uma narrativa alternativa", como Alex Jones, criador do site americano Infowars, ou o francês Thierry Meyssan.

Após o massacre de Parkland, várias montagens de fotos que pretendiam desacreditar os defensores do controle das armas de fogo tentaram convencer os internautas de que uma das sobreviventes, Emma González, que virou uma das líderes do movimento, havia rasgado uma cópia da Constituição americana (que na realidade era um alvo de tiro), ou que que atacava um veículo de um defensor das armas (imagem que correspondia a uma foto antiga de Britney Spears).

Para completar existem os "clickbaits" (algo como caça-cliques), conteúdos que prosperam graças ao sensacionalismo e cujos autores desejam aumentar o faturamento com publicidade, e os fãs de complôs, que elaboram várias teses, segundo o direto da Conspiracy Watch.

Além das más intenções, da confusão e da precipitação em situações de crise, as notícias falsas ambém podem ganhar espaço pela falta de verificação da imprensa tradicional, ou por erros cometidos pelas fontes oficiais.

No terremoto que sacudiu o México em setembro do ano passado, a imprensa de todo o planeta informou sobre a tentativa de resgatar uma pequena menina chamada Sofia, com base nas declarações de socorristas e de autoridades, até que o governo veio a público para informar que a criança nunca existira.

Os municípios alagoanos têm até este sábado (10) para preencher o formulário de justificativa sobre a não implantação do Prontuário Eletrônico do Cidadão (PEC) e-SUS AB, segundo determinação do Ministério da Saúde. A resolução CIT nº 7 de novembro de 2016 define o prontuário eletrônico como modelo de informação para registro das ações de saúde na atenção básica. Até agora 94 municípios preencheram o formulário, faltando apenas oito para fechar os 102. No Brasil, 86,36% atenderam a este chamado, o que representa 4.810 municípios.

A assessora técnica, Kathleen Moura, do Conselho de Secretarias Municipais de Saúde de Alagoas (Cosems) orienta que as respostas devem conter os motivos da não implantação do Prontuário Eletrônico, bem como, declarar o prazo que o município levará para fazê-lo. Os municípios que não conseguirem implantar o PEC dentro do prazo estipulado deverão justificar, pois a não implantação do prontuário eletrônico está sujeita à perda de recursos do Piso da Atenção Básica Variável (PAB). O formulário online esta disponibilizado no Sistema de Controle de Uso (SCU) do e-SUS AB no endereço eletrônico http://bit.ly/JustificativaPEC.

"Muita atenção ao preencher os dados de justificativa no formulário, pois o mesmo será bloqueado e não haverá retorno para correções." ressaltou Kathleen. As justificativas encaminhadas, via sistema de controle de uso do E-SUS AB, serão analisadas pelo Departamento de Atenção Básica do Ministério da Saúde, que avaliará o deferimento ou indeferimento da justificava dos municípios.

O DIA MAIS

/ Notícias em qualquer lugar.
No O Dia Mais, você encontra as últimas notícias de Alagoas 

e do mundo, tudo sobre o seu time e muitos outros conteúdos .

GRUPO /JORNAL O DIA

© 2000 - 2022
linkedin facebook pinterest youtube rss twitter instagram facebook-blank rss-blank linkedin-blank pinterest youtube twitter instagram