Sinais de conversa: série de roda de conversa virtual em Libras

Coluna “Estudar Lá Fora” inicia série de roda de conversa virtual em Libras com resgate histórico e reencontros

Por Alyshia Gomes | Edição do dia 31 de maio de 2020
Categoria: Opiniões | Tags: ,,,,,,,,,


Em fevereiro, pude iniciar uma série para inclusão de estudantes surdos na coluna através da parceria com o professor Anderson Vitorino (Letras-Libras UFAL – Campus Arapiraca). Os primeiros vídeos tiveram bons resultados e, por isso, decidimos avançar. 

Incluindo para “Estudar Lá Fora”

Este mês, iniciamos um novo projeto:  uma série de roda de conversa virtual. O objetivo é trazer surdos e ouvintes inseridos na cultura surda para debater ou apresentar temas importantes, relacionados com a nossa coluna. Fizemos questão de começar celebrando a lei de Libras, marco importante para os surdos no Brasil.

Ainda estou descobrindo esse novo mundo, mas busquei  nomes e cheguei ao João Avião, o primeiro piloto surdo do Brasil. Este alagoano, que agora mora em Nova York, ainda continua na luta pelo seu espaço como piloto, mas já é um exemplo a ser seguido.

O nome do outro participante foi apresentado pelo professor Anderson Vitorino. Lembro-me bem que, ao sugerir a professora Jane Marinho, ele afirmou com muita certeza que eu seria surpreendida. Foi exatamente o que aconteceu.

A primeira roda recebeu o título “Libras: desafios e conquistas no processo de inclusão social, cultural e linguístico”. Pensamos em falar sobre a  a importância do ensino bilíngue para a inclusão dos alunos surdos. Mas à medida em que a conversa ocorria, fomos percebendo que, na verdade, estávamos fazendo um resgate histórico importantíssimo, e um reencontro. 

Jane Marinho foi criadora do CEDAL, primeira escola bilíngue de Alagoas em uma época em que se falava em deficiência auditiva, que língua de sinais era algo em formação e oralismo era a ordem. João foi seu aluno. Sua educação, através da escola e da professora Jane, lhe deu voz e abriu os caminhos para que este sonhador pudesse, hoje, ter uma história de sucesso e incentivar outros surdos.

Anderson, também teve seu momento de reencontro, pois foi a pessoa que substituiu Jane no trabalho da Secretaria de Educação, quando esta decidiu tomar outra direção em sua carreira. O professor falou sobre cultura surda. 

A roda de conversa teve participações mais que especiais das intérpretes:

  •  Roberta Rafaele dos Santos: estudante (Pedagogia e Letras Libras) e intérprete de Libras (SEUNE e Núcleo de Acessibilidade Instituto Bilíngue de qualificação e Referência em Surdez (IRIS)
  • Dayseelle Magalhães Batista: estudante de Libras Libras (UFAL) e intérprete de Libras na UNCISAL
  • Vanessa Costa: formada em psicologia, pós graduada em Libras, guia-intérprete e vice-presidente da Associação de Guias e Intérpretes de Alagoas.

Se você não entendeu qual a conexão do tema com a coluna, chamo atenção para o conceito de Educação Global, que tem o objetivo de trabalhar o desenvolvimento de competências globais capazes de permitir que o indivíduo seja agente de mudanças na sociedade.

Uma professora que faz bilinguismo quando ninguém falava sobre e um aluno que desenvolve competências e autoconhecimento capazes de levá-lo a mudar regras. Gerações diferentes, pessoas diferentes, objetivos iguais: buscar a plenitude em todas as dimensões da vida para si e para os demais.

Aproveite o vídeo!

 

ACOMPANHE AS DICAS DE BOLSAS INTERNACIONAIS NA A COLUNA “ESTUDAR LÁ FORA” NO JORNAL “O DIA ALAGOAS”, JÁ NAS BANCAS!

 

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados