Sikêra Jr escancara o lado podre da televisão brasileira

Sikêra é da máxima de que podem falar, mal ou bem, mas falem. Acontece que esta postura bélica verbal tem um preço

Sikêra Jr escancara o lado podre da televisão brasileira

Sikêra é da máxima de que podem falar, mal ou bem, mas falem. Acontece que esta postura bélica verbal tem um preço

Por Antonio Pereira | Edição do dia 30 de junho de 2021
Categoria: Opiniões | Tags: ,,,,,,,,,,


Ao retirar o tapume da grande montanha de lixo que tem no Brasil, principalmente nas redes sociais, o bolsonarismo escancara seu lado mais podre, sujo e totalmente sem ética ou moral.

Figuras como do apresentador Sikêra Jr. representam o que há de mais nojento neste setor do entretenimento ‘sangue show’. Como sabemos agora, o apresentador vem sendo muito bem pago com dinheiro público para ‘dar uma de doido’, desferindo absurdos todos os dias. Até ‘rainha dos baixinhos’, a Xuxa Meneghel já foi vítima da boca cada vez mais suja do apresentador.

Ele não perde tempo quando o assunto é ganhar dinheiro ‘chapa branca’ e likes. Sikêra é da máxima de que podem falar, mal ou bem, mas falem. Acontece que esta postura bélica verbal tem um preço. No dia do Orgulho LGBT, Sikeira resolveu vomitar toda a sua mediocridade em forma de ‘engraçadinhas’ citações aos homossexuais.

Desde segunda-feira, 28, o movimento “Sleeping Gigants Brasil” realiza uma série de mobilizações nas redes sociais questionando empresas que apoiam o programa Alerta Amazonas, da Rede/TV, apresentado por Sikêra Jr, e se elas compactuam com o discurso de ódio pregado por ele. Até agora ele já perdeu o patrocínio das marcas: Hapvida, TIM, MRV, Magazine Luiza, Kicaldo Alimentos e Novo Mundo.

Com histórico de ataques, ofensas, discriminação e até mesmo ameaças, o Ministério Público Federal entrou com uma ação judicial contra o apresentador e a emissora, solicitando uma multa de R$ 10 milhões por dano morais coletivos. A entidade pontua que as ações de ambos foram discriminatórias e preconceituosas e geraram danos para toda comunidade LGBTQIA+.

Alexandre Garcia e as Fake News

Veterano na TV, o jornalista Alexandre Garcia tem se notabilizado como o grande defensor ideológico do presidente Jair Bolsonaro. Depois de sair da Rede Globo de Televisão, Garcia agora faz comentários na CNN, sempre na linha de apoio ao presidente. Sabe-se que ele, através do seu canal no Youtube já faturou mais de R$ 70 mil para falar bem de Bolsonaro e do seu governo.

Segundo um relatório fornecido pelo Google, o canal do comentarista Alexandre Garcia teria sido um dos grandes disseminadores de fake news sobre a Covid-19. A lista foi fornecida pela empresa a pedido do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) para a CPI da Covid, e soma 385 vídeos que foram removidos pelo YouTube por alerta de conteúdo duvidoso.

Farinhas do mesmo saco

Alexandre Garcia, que tem no currículo o fato de ter sido assessor de imprensa do general João Batista Figueiredo durante a ditadura militar, ao que parece, vai passar para a história como um negacionista radical, sustentáculo de um governo moribundo, acusado de participação direta na morte de milhares de brasileiros durante a pandemia, segundo levantamentos já realizados pela CPI do Senado.

Sikêra Jr. dispensa maiores comentários. Um sujeito totalmente voltado para o lado mais asqueroso do ser humano. Um comunicador que atua deliberadamente para enaltecer o que há de mais desagradável na sociedade.

Os dois, infelizmente, são comunicadores e atuam e grandes veículos de comunicação. Em um futuro próximo saberemos o qual negativo foram suas passagens. O quanto que eles prejudicaram o imaginário coletivo brasileiro com seus preconceitos e disseminação de notícias falsas, tudo para angariar dinheiro público, jogados como ração por um governo reacionário e capaz de práticas nefastas jamais vistas na história deste país chamado Brasil.

Visite minhas redes sociais:

Facebook – https://www.facebook.com/toinhopereira

Instagram – https://www.instagram.com/toinho_pereira0748/

Twitter – https://twitter.com/antoniotoinho07

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados