Sétima UPA de Maceió será entregue em cinco meses pelo governo de Alagoas

Unidade do tipo III vai ser erguida onde funciona o Ambulatório 24 horas da Chã da Jaqueira com recursos próprios do Governo de Alagoas

Sétima UPA de Maceió será entregue em cinco meses pelo governo de Alagoas

Unidade do tipo III vai ser erguida onde funciona o Ambulatório 24 horas da Chã da Jaqueira com recursos próprios do Governo de Alagoas

Por Redação com Assessoria | Edição do dia 11 de junho de 2021
Categoria: Saúde | Tags: ,,


O terreno onde atualmente funciona o Ambulatório 24 Horas Dom Miguel Câmara, no bairro Chã da Jaqueira, vai dar lugar a uma nova estrutura para fortalecer o atendimento médico à população da capital alagoana. A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) teve o início das obras autorizado nesta sexta-feira (11) pelo governador Renan Filho e pelo secretário da Saúde, Alexandre Ayres.

A unidade é a sétima UPA de Maceió e a quinta erguida e mantida exclusivamente com recursos do Governo do Estado. O investimento é de R$ 6,2 milhões para a construção de um equipamento do tipo III, com leitos de observação e urgência, e atendimento nas áreas de clínica geral, pediatria, ortopedia e odontologia. Além disso, vai dispor de consultórios, serviço de exames de Raios-X e eletrocardiograma, salas de gesso, nebulização e laboratório.

O governador Renan Filho assegurou que os profissionais que hoje atuam no ambulatório serão absorvidos pela nova UPA. “A gente vai substituir o antigo mini pronto-socorro da Chã da Jaqueira porque ele é muito pequeno. Então será demolido para dar lugar à UPA que é três vezes maior e vai ofertar uma estrutura melhor para funcionários e pacientes. Inclusive os servidores que trabalham no mini têm a garantia de ser aproveitados na UPA”, assegurou.

Durante a construção, o atendimento do Ambulatório Dom Miguel Câmara vai funcionar em uma estrutura provisória montada próximo ao local, até que a UPA seja entregue dentro de cinco meses. Segundo o secretário Alexandre Ayres, as obras das outras unidades – do Jaraguá e Cidade Universitária – estão avançando e até agosto devem ser inauguradas.

“Na Cidade Universitária as obras devem ser finalizadas ainda no mês de julho e, em Jaraguá, a previsão de entrega é para agosto. Essa ampliação da rede de urgência chega para aproximar o serviço de saúde do cidadão alagoano e contribui para desafogar o HGE”, disse Ayres.

Hoje Maceió conta com as UPAs do Jacintinho e Tabuleiro, em funcionamento, que são fruto de investimentos próprios do Estado. Já as UPAs do Benedito Bentes e Trapiche receberam tanto recursos estaduais quanto do governo federal. Somadas às unidades do interior – Maragogi, São Miguel dos Campos e Delmiro Gouveia – já são dez unidades mantidas pelo Governo de Alagoas.

“Este ano chegaremos a dez UPAs entregues no nosso governo, o que representa um marco histórico para Alagoas. E com 70% delas construídas e mantidas com recursos do Estado. Esses equipamentos eram de competência federal, mas nós tivemos que assumir, uma vez que o governo federal perdeu a capacidade de investimento. Então, mesmo na pandemia, o Estado fez o necessário para colocá-las para funcionar”, explicou o governador.

A unidade da Chã da Jaqueira vai atender 350 usuários diariamente, incluindo casos de crise de hipertensão, suspeita de infarto e derrame, febre alta e pequenas fraturas, 24 horas por dia.

O governador e o secretário da Saúde ainda anunciaram a entrega do Hospital Regional do Alto Sertão no dia 21 de junho e vistoriaram as obras da UPA do bairro de Jaraguá. Os equipamentos já foram adquiridos tanto para a UPA do Jaraguá, quanto para as unidades da Cidade Universitária e Chã da Jaqueira. A intenção do governador é inaugurar a UPA no mês de agosto.

Novo decreto

Ainda na solenidade na Chã da Jaqueira, o governador fez um alerta sobre a situação da Covid-19 no estado. Ele lembrou que os números seguem altos e, por isso, optou por prorrogar o último decreto por mais 15 dias para não restringir ainda mais as atividades econômicas.

“As pessoas precisam continuar atentas. Em janeiro deste ano, por exemplo, 75% das pessoas que morriam por Covid-19 em Alagoas tinham mais de 60 anos. Agora, esse cenário mudou e mais da metade dos alagoanos mortos tem entre 30 e 59 anos. Por isso é importante que, quem puder, tome a vacina e que todos se protejam evitando aglomeração e usando máscara”, orientou o governador.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados