Sesau promove rodas de conversa sobre temática da violência sexual contra crianças e adolescentes

Temática da violência sexual contra crianças e adolescentes tem sido debatida todas as quintas-feiras, das 9h às 11h30

Sesau promove rodas de conversa sobre temática da violência sexual contra crianças e adolescentes

Temática da violência sexual contra crianças e adolescentes tem sido debatida todas as quintas-feiras, das 9h às 11h30

Por Assessoria | Edição do dia 23 de novembro de 2021
Categoria: Alagoas | Tags: ,,,,


A Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) iniciou, no começo deste mês, por meio da Rede de Atenção às Vítimas de Violência Sexual (RAVVS), uma série de rodas de conversa sobre temática da violência sexual contra crianças e adolescentes. A ação é destinada a cuidadores de vítimas de violência sexual e acontece no auditório da Supervisão de Atenção Psicossocial (SUAP). Os encontros ocorrem até o fim deste ano, todas as quintas-feiras, das 9h às 11h30, e continuarão em 2022.

Com o tema “Ressignificando Vivências: Um Olhar Acolhedor para as Mães e Cuidadoras de Vítimas de Violência Sexual”. O encontro tem o objetivo de conscientizar sobre violência sexual e as formas de proteção e prevenção de recorrência dessas violências. Além de fortalecer o emocional das participantes.

A técnica de referência do projeto Mãos que Acolhem e criadora da ação, Keila Cristina, explica que o projeto surgiu da carência em preparar mães e cuidadoras para lidar melhor com as alterações de comportamento das vítimas de abuso sexual. “Ao acompanhar as vítimas de abuso sexual, tanto na delegacia, quanto nas Áreas Lilás dos Hospitais, percebi uma necessidade de mães e cuidadores de serem acolhidas, ouvidas. Muitas delas já têm um histórico de violência nas suas vidas, principalmente a violência doméstica, e não sabem como lidar com os filhos. Por isso, o projeto aborda várias temáticas e tem o objetivo de acolher, conscientizar e fortalecer as emoções”, enfatizou.

De acordo com a psicóloga e coordenadora da RAVVS, Camille Wanderley, é importante fortalecer os vínculos familiares para garantir um melhor desenvolvimento das crianças e adolescentes após serem vítimas de agressões sexuais. “Os encontros visam fortalecer os vínculos familiares que são, extremamente, impactados quando ocorre a violência sexual. Queremos fazer com que essas mães se sintam menos culpadas e que elas possam ser uma facilitadora do desenvolvimento dessas crianças”, explicou.

Ainda segundo a coordenadora, em Alagoas cerca de duas crianças são violentadas por dia. E durante a pandemia da Covid-19, os números tendem a aumentar devido à subnotificação de casos. “No último condensado da segurança pública do Brasil, recentemente publicado, Alagoas possui 1.8 crianças sendo estupradas por dia. Vale destacar que esse número não retrata a realidade, pois sabemos que 20% disso ainda é subnotificado. A pandemia aumentou muito o número de violência sexual e demais tipos de violências, até porque a pandemia aumentou a vulnerabilidade social e econômica da população como um todo. E isso, inevitavelmente, gera violência, gera aumento de uso de drogas e, também, adoecimento mental. Então, agora nós temos que trabalhar de forma firme par que a gente possa minimizar esses impactos”, ressaltou.

RAVVS – O programa foi criado pela Secretaria de Estado da Saúde (Sesau) em outubro de 2018. Todo trabalho é feito por uma equipe multiprofissional, composta por médicos, enfermeiros, psicólogos, assistentes sociais, médico perito e agente da Polícia Civil.

As vítimas podem procurar os serviços da RAVVS na Área Lilás, do Hospital da Mulher (HM), na pediatria do Hospital Geral do Estado (HGE), no Hospital Ib Gatto Falcão, em Rio Largo, e no Hospital de Emergência do Agreste (HEA), em Arapiraca. Mesmo durante a pandemia causada pelo novo coronavírus, o serviço continua funcionando normalmente em todas as unidades de saúde.

A RAVVS conta também com o apoio de uma Rede Intersetorial, composta pelos órgãos de segurança pública, pelo Poder Judiciário, pelos Conselhos Tutelares, Secretaria de Estado da Prevenção à Violência (Seprev), da Educação (Seduc), da Assistência Social (Seads) e da Mulher e dos Direitos Humanos (Semudh).

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados