Servidores participam de workshop sobre relações interpessoais

Por | Edição do dia 29 de novembro de 2015
Categoria: Maceió, Notícias


Servidores da Secretaria Municipal de Educação (Semed), que exercem funções de secretário escolar, apoio administrativo e gestores, participaram do workshop promovido pelo psicólogo e psiconeurobiologista Gérson Alves, durante a VII  Bienal Internacional do Livro de Alagoas. Durante toda a tarde de sábado (28), na Sala Pajuçara, questões relacionadas ao funcionamento do cérebro, comportamento de pessoas, gestão de pessoas e relacionamento interpessoal foram temas abordados pelo professor do Polo Palmeira dos Índios da Universidade Federal de Alagoas (Ufal).

A diretora do Departamento de Documentação e Informação da Semed, Adélia Cristina Bomfim de Araújo, explica que tomou a iniciativa de promover a atividade com o objetivo de propiciar a mudança de comportamento entre os diversos servidores e setores da Semed, bem como das escolas da rede municipal de ensino da capital. “Melhorar as relações interpessoais. Esse é o nosso maior objetivo, ao promover esse workshop”, explicou ela.

Adélia Cristina justifica que nos ambientes de trabalho são sempre bem-vindas iniciativas desse tipo. Isso porque nas diferenças de pensamento, sobre assuntos diversos, podem surgir ruídos nas relações, os quais podem ser alimentados por muito tempo e, assim, prejudicando o bom andamento das relações pessoais.


DSC_0007

 

Durante sua apresentação, o psicólogo explicou que o progresso da tecnologia leva a mudança de observar os estudos acadêmicos de outrora, daí a necessidade do repensar permanente da forma de tratar os contatos entre as pessoas. Gérson Alves destaca que o cérebro se modifica, diante dessa revolução tecnológica, motivo pelo qual é preciso acompanhar essas alterações.

Para ele, é a partir daí que devem começar as relações interpessoais. “As teorias que amparam a educação foram formatadas no século passado. Com o avanço da tecnologia de observação do funcionamento cerebral, passamos a ter outra compreensão do funcionamento da estrutura cerebral e do comportamento de aprendizagem”, resumiu Alves.

Delane Barros/ Ascom Semed

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados