Sem Whatsapp, brasileiros protestam com humor e memes

Sem Whatsapp, brasileiros protestam com humor e memes

Por | Edição do dia 2 de maio de 2016
Categoria: Artigos, Notícias, Tecnologia | Tags: ,,,


Enfrentando mais um bloqueio de Whatsapp por determinação judicial, os brasileiros utilizaram sua ferramenta mais tradicional para protestar: o humor. Em outras redes sociais, como Facebook e Instagram, eles demonstraram toda sua insatisfação em perder o serviço, como ocorreu no bloqueio anterior.

sem whats 1

sem whats 2

 

sem whats 3

Porém, desta vez, a política também fez parte dos protestos.

Perfis no Instagram e Facebook demonstraram descontentamento

Perfis no Instagram e Facebook demonstraram descontentamento

Uma “vítima” bastante visada foi o atual algoz da democracia – como defendem alguns – Eduardo Cunha, presidente da Câmara dos Deputados.

sem whats c1

Até o Sensacionalista, conhecido site de notícias falsas, porém firme em ironia e sarcasmo, demonstrou espanto com a presteza da Justiça em suspender o Whatsapp enquanto o processo de Cunha na comissão de ética bate recorde de espera para julgamento.

Sensacional

Para ler as notícias “isentas de verdade” do Sensacionalista, basta clicar aqui e aqui.

Declarações oficiais

 

Enquanto isso, a diretoria da empresa, que pertence ao Facebook, discordou da justiça e da falta de proporção da medida, solicitada por um juiz em Sergipe, mas que bloqueou o aplicativo em todo o país.

“Depois de cooperar com toda a extensão de nossa capacidade com os tribunais brasileiros, estamos desapontados que um juiz de Sergipe decidiu, mais uma vez, ordenar o bloqueio de WhatsApp no Brasil. Esta decisão pune mais de 100 milhões de brasileiros, que dependem do nosso serviço para se comunicar, administrar seus negócios e muito mais, para nos forçar a entregar informações que afirmamos repetidamente que não temos”, afirmou o Whatsapp por meio de nota enviada.

O presidente da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel), João Rezende, também afirmou que o bloqueio é uma medida desproporcional porque acaba punindo os usuários do serviço. “O WhatsApp deve cumprir as determinações judiciais dentro das condições técnicas que ele tem. Mas, evidentemente o bloqueio não é a solução”, acrescentou.

Segundo Rezende, a Anatel não pode tomar nenhuma medida para restabelecer o serviço, porque não é parte da decisão judicial. O Ministério das Comunicações informou que não vai se posicionar neste momento sobre a decisão judicial que determinou o bloqueio do WhatsApp.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados