Sem resposta do governador, policiais civis de Alagoas deliberam paralisação de 48h

Paralisação terá início às 08h desta quarta (11) com encerramento às 08h da sexta (13)

Sem resposta do governador, policiais civis de Alagoas deliberam paralisação de 48h

Paralisação terá início às 08h desta quarta (11) com encerramento às 08h da sexta (13)

Por Assessoria | Edição do dia 10 de novembro de 2020
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags: ,,,,


Foto: Reprodução

Os policiais civis deliberaram, em assembleia geral, nesta terça-feira (10), por paralisação de 48 horas, que terá início às 8 horas desta quarta (11) com encerramento às 8 horas da sexta-feira (13). A decisão se deve à falta de compromisso do governador Renan Filho que prometeu se reunir com a direção do Sindicato dos Policiais Civis de Alagoas (Sindpol) até o dia 30 de outubro, para concluir as negociações pela valorização da categoria.

Na assembleia, o presidente do Sindpol, Ricardo Nazário, fez levantamento da mobilização, junto ao Governo do Estado, passando pelo ato público na inauguração do CISP de Maribondo, em 12 de março; realização de ato na inauguração do Hospital Regional da Mata em União dos Palmeira e reunião com o governador em 7 de outubro, o qual prometeu se reunir com o Sindpol até o dia 30 de outubro, o que não ocorreu.

Mobilização
A categoria decidiu pela realização atos públicos na Central de Flagrantes nesta quarta-feira (11) e quinta-feira (12), a partir das 8h.

Na assembleia geral, foi definido que o Sindpol e a categoria acompanharão a agenda do governador Renan Filho nas atividades públicas e nas eleições municipais.

Os policiais também deliberaram que o Sindpol fará campanha contra o candidato do Governo do Estado à Prefeitura de Maceió, tendo em vista que o governador não cumpre com sua palavra.

Há três anos que os policiais civis lutam pela valorização. O governador já concedeu reajuste salarial aos delegados, aos policiais militares e acatou reivindicações de várias categorias da segurança pública, mas trata com descaso os pleitos dos policiais civis.

Orientações na paralisação:
– Flagrante um por vez, pois o Delegado não pode estar em vários cartórios ao mesmo tempo, somente com a presença do Delegado;
– Fazer local de crime só com a presença do Delegado. Se o Delegado não for, os policiais civis não devem ir;
– TCO só na presença do Delegado, mesma orientação do Flagrante;
– Não realizar oitivas (Declarações, Depoimentos e Interrogatórios);
– Não fazer Boletins de Ocorrências, com exceção dos BOs de estupro, SVO, flagrante;
– Não sair para cumprir mandados de prisões e mandados de busca e apreensões, e não ir para operações policiais;
– Garantir o acesso do advogado ao preso;
– Cumprir as diretrizes do SINDPOL ALERTA.

Foto: Reprodução

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados