Segurança Pública desarticula três organizações criminosas que sonegavam tributos na venda de aves

Em uma das casas as equipes apreenderam mais 100 mil reais em dinheiro. Além das apreenções de armas, munições e cadernos com anotações.

Segurança Pública desarticula três organizações criminosas que sonegavam tributos na venda de aves

Em uma das casas as equipes apreenderam mais 100 mil reais em dinheiro. Além das apreenções de armas, munições e cadernos com anotações.

Por Assessoria | Edição do dia 8 de abril de 2021
Categoria: Polícia | Tags: ,


A Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP) coordenou, nesta quinta-feira (08), uma operação integrada, entre as Polícias Civil e Militar, com o objetivo de prender integrantes de três organizações criminosas que atuavam nas cidades de Arapiraca, Palmeira dos Índios, Ibateguara, São José da Tapera, Penedo, além das cidades pernambucanas de Correntes e Garanhuns. A ação tem como objetivo combater o comércio de aves com sonegação de tributos devidos.

Foram cumpridos 14 mandados de prisão e 20 de busca e apreensão, todos expedidos pela 17ª Vara Criminal da Capital, fruto do trabalho investigativo da Divisão Especial de Investigações e Capturas (DEIC), com apoio do Batalhão de Policiamento Rodoviário (BPRV).

Este slideshow necessita de JavaScript.

As três organizações criminosas são responsáveis, em tese, pela prática de condutas graves, tais como a aquisição e distribuição de aves (frangos) em transportes irregulares, com ausência do cumprimento de requisitos sanitários, sonegação fiscal, corrupção ativa e passiva, falsificação de documentos, comercialização irregular de aves impróprias para consumo e comercialização de armas de fogo.

A operação ganhou o nome de “Pirâmide Feudal”, porque a estrutura das organizações comparava – se a de uma pirâmide, sendo os que os proprietários das granjas tinham conduta semelhante a reis, mas que enriqueciam de forma ilícita através da sonegação fiscal, adulteração de documentos e venda de frangos inapropriados para consumo mediante corrupção de agentes públicos.

Estes proprietários equiparavam-se ao clero que em conjunto com a nobreza e os servos faziam de tudo para que suas compras chegassem em suas avícolas sem maiores problemas, sobretudo com as fiscalizações. Já os intermediadores, os lobistas e os negociantes, por sua vez, assemelhavam-se à nobreza da Idade Média, fazendo assim com que a organização funcionasse sonegando impostos, corrompendo pessoas, e sobretudo burlando as fiscalizações. Já os envolvidos nas etapas de transporte, segurança, escolta e também os informantes se assemelhavam aos servos feudais, já que cooperavam para que a mercadoria chegasse a seu destino final.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Para o cumprimento dos mandados durante a operação integrada foram empregados militares do BPRv, do Grupamento Aéreo e agentes da DEIC. Uma vasta quantidade de dinheiro em espécie e até mesmo em dólares e Euro foi apreendida durante a operação.

Em uma das casas as equipes apreenderam mais 100 mil reais em dinheiro. Além das apreenções de armas, munições e cadernos com anotações. Até o momento sete suspeitos foram presos em Alagoas e em Pernambuco. Todos os indivíduos e materiais apreendidos serão encaminhados para a sede da DEIC, no bairro da Santa Amélia, para a confecção dos procedimentos cabíveis.

Este slideshow necessita de JavaScript.

A população é grande parceira das forças de segurança no combate ao crime em Alagoas e pode contribuir com o trabalho das polícias realizando denúncias sobre homicídios, tráfico de drogas, roubos, organizações criminosas e outros crimes por meio do Disque Denúncia. As informações podem ser repassadas, de forma anônima e gratuita, por meio de ligações para o 181.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados