Segurança Pública apresenta suspeitos da morte de professor

Dois irmãos foram apresentados como principais suspeitos após fazerem o uso do chip da vítima

Segurança Pública apresenta suspeitos da morte de professor

Dois irmãos foram apresentados como principais suspeitos após fazerem o uso do chip da vítima

Por | Edição do dia 6 de outubro de 2016
Categoria: Blog, Notícias, Polícia | Tags: ,,,,,


Foto: Nathali Duarte

Foto: Nathali Duarte

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) apresentou, em coletiva de imprensa nesta quinta-feira, dois irmãos suspeitos da possível morte do professor da Universidade Federal de Alagoas (Ufal), Daniel Thiele. Foi descartado que tenha sido um sequestro ou latrocínio, mas é investigado que tenha ocorrido um homicídio qualificado, motivado por crime passional.

Durante diligências da Polícia Civil, na manhã desta quinta, policiais prenderam  os irmãos Anderson Leandro Palmeira da Silva e Emerson Palmeira da Silva.Eles foram apresentados como principais suspeitos do caso. A polícia chegou até a dupla após um deles ter usado o chip telefônico do professor, logo depois do desaparecimento.

Foto: Nathali Duarte

Foto: Nathali Duarte

Foto: Nathali Duarte

Foto: Nathali Duarte

O Grupamento Aéreo sobrevoou a região metropolitana, nas proximidades de Messias e Rio Largo, quatro vezes, e somente na última o carro foi encontrado. O local é de difícil acesso, em meio à mata e canaviais.

De acordo com o delegado Felipe Caldas, da Seção Antissequestro da Divisão Especial de Investigação e Capturas (Deic), o corpo foi encontrado carbonizado e com um arame no pescoço, onde é sugerido que ele teria sido sufocado e depois queimado dentro do carro para dificultar as buscas.  As portas do carro estavam abertas como se tivesse tentativa de fugir.

“Aguardamos o resultado dos exames de DNA e a necropsia do corpo. No momento não podemos falar, estamos em investigações. O inquérito será entregue semana que vem”, disse Felipe Caldas.

O irmão mais velho do professor Daniel Thiele, Marcelo Thiele, esteve presente na coletiva. Ele veio de Santa Catarina acompanhar as buscas.  “Coloquei- me à disposição desde o início das buscas. Foi o mínimo que eu pude fazer em nome da minha família. Era o único que poderia vir para Alagoas. Meu pai já é idoso, já passou por problemas de saúde. O natural é os filhos enterrarem os pais e não o contrário”, relatou Marcelo Thiele.

“Como filho mais velho, vim só, deixei minha família no sul. Agradeço o trabalho da equipe da Polícia Civil, o trabalho de alunos e professores. A grande preocupação era encontrar meu irmão. Está sendo um momento muito difícil.”, finalizou Marcelo.

Ainda segundo o delegado Felipe Caldas, a última vez que o professor Daniel Thiele foi visto quando chegou à Ufal àss 10h58 e logo saiu sem entrar no local de trabalho, às 11h03. Essas informações foram obtidas junto ao sistema de videomonitoramento da SSP.

A reitora da Ufal Valéria Correia também participou da coletiva, disse que toda comunidade acadêmica prestou apoio à família, principalmente ao irmão que está na cidade, e ajudou com informações a Polícia Civil. “A Ufal recebe a notícia com profunda tristeza, nós acompanhamos  e nos solidarizamos com a família, com o irmão do professor. Não medimos esforços no apoio. Amanhã celebraremos um culto ecumênico. A comunidade acadêmica está em choque. Agradecemos os trabalhos de buscas”, afirmou a reitora Valéria Correia.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados