Saúde promove palestra sobre dengue, zika e chikungunya

Por | Edição do dia 7 de outubro de 2015
Categoria: Maceió, Notícias


A Secretaria Municipal de Saúde (SMS), por meio da Diretoria de Vigilância Epidemiológica (DVE), promoveu, na manhã desta quarta-feira (7), uma palestra sobre sinais e sintomas da dengue, febre chikungunya e zika vírus. A palestra foi direcionada aos servidores, agentes comunitários e usuários da Unidade de Saúde da Família (USF) São José, localizada no bairro do Canaã. O encontro aconteceu no auditório da Igreja Batista Família Zoe e buscou alertar sobre os principais sintomas das três doenças, formas de tratamento e prevenção.

1

Segundo o técnico da Vigilância Epidemiológica Fábio Henrique Peixoto, no ano de 2015, a maior taxa de mortalidade no Brasil por dengue está na população acima de 60 anos. Existem 127.678 de casos suspeitos da doença, com 265 óbitos, em média. “A letalidade da dengue permanece no Brasil por conta de diversas questões, inclusive falta de água, que leva ao armazenamento indevido, aliado a problemas de saneamento básico e ao acúmulo de lixo, entre outros”, explicou.

Em relação à febre chikungunya, não houve casos confirmados em Maceió. A doença é parecida com a dengue, com sintomas como febre e mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço. A grande diferença da febre chikungunya está no acometimento das articulações. O vírus avança sobre as juntas dos pacientes e causa inflamações, com fortes dores, acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local. “Até o momento, não houve casos confirmados da doença em Alagoas, mas os cuidados que a população deve ter são os mesmos dos relacionados à dengue, lembrando que a chikungunya é mais incapacitante”, ressaltou o técnico da Vigilância Epidemiológica Fábio Henrique Peixoto.

32

Já a zika é uma doença benigna e auto limitada, não ocasionando mortes e nem hemorragia. Seus sintomas desaparecem de cinco a sete dias. Das pessoas picadas pelo mosquito, apenas 18% tem manifestação dos sintomas, que incluem febre baixa, vermelhidão nos olhos, dores de cabeça e dores nas articulações. O tratamento é realizado da mesma forma, com repouso, hidratação e tratamento sintomático.

Notificação

Fábio Henrique Peixoto alerta ainda para a importância da notificação compulsória e imediata de casos suspeitos de dengue e febre Chikungunya.  “Nos casos de dengue, geralmente a notificação é feita pelos hospitais em até uma semana, já no caso da febre Chikungunya essa notificação precisa ocorrer em até 24 horas, para que a equipe de controle vetorial vá até a residência do paciente, ao bairro e realize as medidas necessárias de controle”, explicou.

Peixoto ressaltou ainda que por meio da notificação ou mesmo do informe de casos por telefone, técnicos da SMS se deslocam até a residência do paciente para a coleta da sorologia. A notificação deve ser feita com base em casos suspeitos e não confirmados, já que esta última é realizada pelo próprio serviço de saúde. Pacientes que apresentem pelo menos dois sintomas, entre eles dor de cabeça, prostração, dor muscular, já podem ser considerados suspeitos.

“Todo caso deve ser testado primeiro para dengue e depois para a chikungunya, já que Maceió não é uma área endêmica e não há casos confirmados na capital. Para um paciente ser diagnosticado com a chikungunya é preciso que ele apresente febre de início súbito maior que 38,5°, artrite intensa e ter visitado áreas endêmicas ou epidêmicas até duas semanas antes do aparecimento dos sintomas”, explicou Fábio Peixoto.

Ana Cecília da Silva – Ascom/SMS

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados