Saúde capacita técnicos para prevenção e controle de casos de febre amarela

Mesmo sem registros de casos desde 2017, Maceió tem monitorado os agravos de forma contínua

Saúde capacita técnicos para prevenção e controle de casos de febre amarela

Mesmo sem registros de casos desde 2017, Maceió tem monitorado os agravos de forma contínua

Por Assessoria | Edição do dia 7 de julho de 2021
Categoria: Maceió, Saúde | Tags: ,,


Capacitação acontece no Centro de Atividades Ambientais do Ibama-AL. (Foto: Divulgação)

A Gerência de Doenças Transmitidas por Vetores e Animais Peçonhentos da Secretaria Municipal de Saúde (SMS) promove, até esta quinta-feira (8), em parceria com o Ministério da Saúde, o treinamento de agentes de endemias de Maceió para aprimorar a notificação e monitoramento de ocorrência de zoonoses em animais silvestres no município.

Realizado com a participação de técnicos do Ibama/AL e da Secretaria de Estado da Saúde (Sesau/AL), a capacitação tem a finalidade, em especial, de habilitar os profissionais – que atuam nessas ocorrências de forma compartilhada – para a utilização do Sistema de Informação em Saúde Silvestre (SISS-Geo), plataforma da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), utilizada pelos técnicos do Centro de Informação em Saúde Silvestre, do Ministério da Saúde.

A ferramenta, que é utilizada para a vigilância e registro de ocorrências em zoonoses e notificação de epizootias (doenças contagiosas que atingem um grande número de animais ao mesmo tempo), será direcionada em Maceió, a princípio, para melhorar a atividade de monitoramento de casos de febre amarela, cuja ocorrência em primatas não humanos (PNH) é um indicativo de risco em humanos.

Equipe participante da capacitação pela SMS. (Foto: Divulgação)

A gerente de Doenças Transmitidas por Vetores e Animais Peçonhentos, Carmem Samico, explica que mesmo sem o registro de ocorrência de febre amarela silvestre em humanos no município, Maceió tem feito o monitoramento desse agravo desde 2017, quando foi detectado, em laboratório, um caso em animal (macaco), atropelado no bairro da Gruta.

“Implementar a plataforma aqui, com profissionais capacitados para sua utilização, irá nos fazer dar uma resposta mais rápida a partir da notificação de um caso, possibilitando a aplicação das medidas adequadas de prevenção e controle, evitando que o agravo possa ganhar potencial de acometimento humano”, reforça Carmem.

Capacitação por etapas

A capacitação vem sendo realizada por etapas, com cada um dos órgãos envolvidos. Nela, seis técnicos do Centro de Informação em Saúde Silvestre (CISS) têm apresentado um panorama da Vigilância da Febre Amarela e a situação atual no país, além de compartilhar informações sobre o CIS e promovido a experiência de simulação de uso da ferramenta.

Nesta quarta-feira, o treinamento foi realizado com técnicos do IBAMA/AL. E ao mesmo tempo, o município dedicou a manhã à Oficina de Planejamento, Preparação e Utilização da Plataforma Siss-Geo para Vigilância de Epizootias em PNH com vistas ao monitoramento de Febre Amarela. Com a participação de técnicos da Diretoria de Vigilância em Saúde (DVS), Unidade de Vigilância em Zoonoses (UVZ) e coordenações afins, a atividade teve como objetivo elaborar o processo de notificação das epizootias através do SISS-Geo para o município de Maceió.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados