Roberto Fernandes esbarra em dificuldades para montar a equipe

Com elenco enxuto e “concorrência” com o Departamento Médico, treinador vive drama para escalar o time

Roberto Fernandes esbarra em dificuldades para montar a equipe

Com elenco enxuto e “concorrência” com o Departamento Médico, treinador vive drama para escalar o time

Por Thiago Luiz | Edição do dia 26 de abril de 2021
Categoria: Esportes


O CRB tem enfrentado muitos problemas que fazem o rendimento do time oscilar. Durante a última semana, por exemplo, três jogadores testaram positivo para a Covid-19, além de dois zagueiros lesionados. O calendário do futebol nacional está cada vez mais apertado, ainda mais neste período de crise sanitária e instabilidade das restrições governamentais para conter o avanço do coronavírus. Liderando o Campeonato Alagoano, o Galo o Clássico das Multidões [mais uma vez sem multidão] marcado para 1º de maio e o confronto da terceira fase da Copa do Brasil pela frente. E o que mais preocupa são justamente as peças de reposição que devem entrar para “cobrir” os desfalques.

No jogo contra o Bahia, na eliminação da Copa do Nordeste por 4 a 0, o zagueiro Diego Ivo, que fazia a dupla titular da defesa ao lado de Gum, saiu sentindo o joelho esquedo. Dias depois, após exames de imagens, foi detectada ruptura do tendão patelar. A lesão só pode ser resolvida com procedimento cirúrgico, sem tempo estimado para retorno aos gramados, até definirem as técnicas utilizadas nos procedimentos de reconstituição. E de volta ao Alagoano, mais uma baixa: Matheus Stockl saiu sentindo a coxa esquerda, contra o CSE, ainda no primeiro tempo e também está entregue ao Departamento Médico. Além deles, o lateral-esquerdo Hugo também sentiu fisgadas na perna no fim da partida.

E o grande problema é que Hugo é justamente substituto de Guilherme Romão, titular na posição que testou positivo para a Covid-19 e segue isolado. Sotckl também é o reserva imediato de Ivo. Sendo assim, a única alternativa de dupla de zaga até o momento é formada por Gum e Ewerton Páscoa, que tem sido muito criticado pela torcida por erros que comprometeram resultados. Nas últimas atuações, Páscoa participou diretamente de jogadas que resultaram em pênaltis e demonstra muita insegurança nos duelos contra os ataques adversários.

O volante Olívio, que costuma sempre ser uma peça de recomposição utilizada no segundo tempo também está infectado pelo novo coronavírus, mas em seu setor outros atletas conseguem dar esse suporte. O goleiro Edson Mardden, que perdeu a posição de titular para Diogo Silva após falhas, mas é, sem dúvidas, o reserva imediato, também está acometido pela doença e segue isolamento até a alta.

Roberto Fernandes demonstrou preocupação com os casos de Covid-19 no elenco para que se evite um possível surto: “Atravessamos o país, fomos para Belém, Salvador, muitos atletas se reúnem e vão de carona para o CT, então basta um desses estar infectado e passar para todo mundo”, disse o treinador.

Com todos esses desafios para montar uma equipe competitiva, o técnico reconhece algumas limitações, afirmando que a defesa tem tomado gols estranhos em lances “bizonhos” e justifica a queda de rendimento de sua equipe com diversos fatores, mas o mais forte, na interpretação do treinador, é a dificuldade dos jogadores se recuperarem nos curtos intervalos entre as partidas. “O início da temporada é uma maratona grande de jogos e tem momentos que os atletas não conseguem se recuperar, junta com lesão e com pouco tempo de treinamento”.

Embora os desfalques preocupem, Fernandes disse que é preciso manter o equilíbrio e a serenidade para gerenciar o momento. Disse ainda que a chegada de reforços é discutida semanalmente nas reuniões da comissão técnica com a direção de futebol do clube, mas que é preciso se basear no orçamento do CRB.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados