Reisado de pai pra filho, um trupé de três gerações!

Uma brincadeira que aqui criou raízes nos tempos da colonização e ainda hoje encanta o público que assiste as apresentações.

Por | Edição do dia 10 de janeiro de 2020
Categoria: Cultura | Tags: ,,,,,,,,,,


Foto redimensionada

Mestre Expedito Tavares (65) último detentor legítimo do Reisado da Viçosa-AL. Créditos: Jamerson Soares

Os espelhos, as fitas multi coloridas e os mais belos espelhos do chapéu retratam com tamanha realeza a brincadeira que chegou por aqui através dos nossos colonizadores. De acordo com Théo Brandão em seu livro, Folguedos Natalinos de Alagoas – 1961, “o Reisado é um dos autos natalinos mais populares próprios da época”. É sem sombra de dúvidas derivado das antigas “Janeiras” e “Reis Portugueses” como das Folias de Reis que é celebrada na região sul do país entre os dias 25 de Dezembro a 06 de Janeiro.

Em nosso estado apesar de não ser uma brincadeira genuinamente alagoana, o folguedo recebeu influencia dos auto dos congos e a partir daí passou a se apresentar com maior riqueza em sua indumentária como nas peças melódicas, os famosos “entremeios”. Para quem não sabe este folguedo faz a louvação ao nascimento do Menino Jesus e reverencia os três Reis Magos do Oriente. De acordo com José Ribeiro em seu livro, “Brasil no Folclore – 1970”, em Alagoas, “constitui-se numa representação dramática, normalmente curta e pobre de enredo, acompanhada e precedida de canto”.

Pág. 43 - 1953 - Copia

Imagem do Reisado na Revista O Cruzeiro, pág. 43 – Ano: 1953.

Câmara Cascudo registrou o nosso Reisado quando esteve em Viçosa-AL em 1952 e na oportunidade assistiu uma apresentação: “Tinha vários motivos, lutas do rei com os fidalgos, até que era ferido, depois de prolongado duelo a espadas, sempre solando e sendo respondido, em repetição e uníssono, por todo o grupo. Espetaculosamente vestido e com coroas e chapéus estupefacientes, espelhos, alfajôres, fitas, panos vistosos com areia brilhante, etc.”

O Reisado de Viçosa que Câmara Cascudo apreciou foi um dos últimos do formato original que sobreviveu ao seu substituto, o Guerreiro. Este Reisado sob a batuta do Mestre Luiz Góes em 1954 participou no Festival do IV Centenário da cidade de São Paulo e é de sua autoria uma música muito conhecida entre nós, vamos recordar, “Ô minha gente, Reisado só da Viçosa, fazenda só cor de rosa, baiana só do farol. Ô minha gente, dinheiro só de papel, carinho só de mulher e capital só Maceió…”. O Guerreiro que é uma versão mais rica e elaborada dos Reisados caiu desde os anos de 1930 quando se deu seu aparecimento no gosto popular e sendo nosso por inspiração dos antigos Mestres se tornou patrimônio cultural e imaterial de Alagoas.

Mestre Expedito herdou do pai, Mestre Osório, a missão de continuar a brincadeira. Créditos: Jamerson Costa.

Mestre Expedito herdou do pai, Mestre Osório, a missão de continuar a brincadeira. Créditos: Jamerson Soares.

No Trupé de três gerações

Hoje a Zona da mata e outras regiões do Estado mantém a brincadeira viva com aspectos tradicionais sob a influência da criatividade dos mais novos, Viçosa que viu nascerem tantos filhos ilustres viu também brilhar na sua história Mestre Luiz Góes, Mestre Terto Tavares, nosso inesquecível Mestre Osório Tavares e vê no estimado Mestre Expedito Tavares dos Santos detentor legítimo a garantia da perpetuação da brincadeira.

Mestre Osório começou a dançar aos oito anos de idade, herdou do pai, Terto Tavares, a paixão pelo folguedo e a transmitiu para seus 5 filhos. Por muitos anos comandou o grupo de reisado de sua terra natal.

Na cadência da brincadeira, Expedito foi quem assumiu o legado da família, residente no povoado Bananal em Viçosa-AL, hoje, aos 65 anos de idade e reconhecido como Mestre no Registro do Patrimônio Vivo de Alagoas (RPV) incentivo cultural do Governo do Estado vê com esperança a continuação do folguedo nos dias atuais.

“Meu avô, Terto Tavares era Mestre de Reisado, ali como figura meu pai começou de menino a brincar, quando meu avô não pôde mais, passou a missão para meu pai, Mestre Osório. Ele era rapaz quando assumiu a responsabilidade de continuar a brincadeira, participou ativamente por mais de 80 anos, só parou quando não pôde mais devido a idade, faleceu com 96 anos. Muito antes dele falecer ele me chamou e pediu para eu não deixar o Reisado acabar, e é isso que eu venho fazendo até hoje”, disse Mestre Expedito.

Mestre Osório seguiu os passos do Pai e assim ganhou fama nacional com a famosa peça, “Ôh Viçosa do nosso Brasil, tô longe de ti a saudade me mata. Sois de prata cidade mimosa, teu nome Viçosa, princesa das matas…” Talento é o que não faltava, Viçosa ganhou relevância cultural graças aos seus famosos Reisados, Bandas de Pífano e do Guerreiro, sem esquecer-se da ala dos romancistas, poetas e folcloristas.

Cicera Leite, Contra Mestra do Reisado da Viçosa-AL. Atualmente é quem coordena as atividades e apresentações do folguedo. Créditos: Jamerson Costa.

Cicera Leite, Contra Mestra do Reisado da Viçosa-AL. Atualmente é quem coordena as atividades e apresentações do folguedo. Créditos: Jamerson Soares.

Com a missão aguerrida, o estimado Mestre Expedito se uniu à amiga, hoje coordenadora do grupo, Cicera Leite e juntos reativaram o Reisado na comunidade em que vive, o grupo foi formado há 20 anos e leva o nome da Mãe de Jesus, a Virgem dos Pobres, tem 25 componentes entre Reis e Rainha, Mateus, Palhaças, demais figuras e os tocadores.

“Quando a gente resolveu formar novamente o grupo, eu fiquei com medo, mais Cicera Leite não desanimou, animou e nós formamos. Começamos fazendo umas saias com sacos de nalho arrumamos umas caixas de papelão e fizemos os chapéus, e o resto o povo conta até hoje, a notícia se espalhou que o filho do Mestre Osório estava com um Reisado de primeira e assim continuamos com essa fama. Em todo canto tem gente que conhece o nosso Reisado, é famoso como sempre foi com o meu pai e meu avô”. Ressaltou Expedito.

O grupo se apresenta de forma regular no período natalino até o dia de Reis, mais que não o impede de ter outras apresentações como é de costume durante o ano inteiro. Em 2019 o Mestre Expedito recebeu da Associação dos Folguedos Populares de Alagoas – ASFOPAL o título de embaixador da Cultura Popular e a Comenda Professor Ranilson França de Cultura Popular, a honraria foi entregue no mês de Novembro no Teatro Deodoro.

Não sendo diferente da realidade de outros folguedos, a dificuldade para manutenção do figurino redobra a luta para realizar a brincadeira, de acordo com Cicera Leite, atual coordenadora do grupo, a grande batalha que tem é de conseguir recursos que ajudem na manutenção do figurino, “atualmente não recebemos recursos nem incentivos da Secretaria Municipal de Cultura de Viçosa, nem tão pouco da SECULT, as apresentações com cachês são escassas e quando temos, dividimos com nossos brincantes. É preciso ter mais cuidado com nossa brincadeira, são tempos que não são fáceis de cativar a juventude para participar e vemos que a forma que muitas vezes nós somos tratados em vez de animar desanima quem já participa. É preciso encontrar uma forma aonde todos os folguedos sejam mais valorizados e respeitados, principalmente quem organiza a turma”. Desabafou Cicera.

Os amigos Cicera e Expedito, lutam diariamente para manter vivo uma das brincadeiras mais populares de Alagoas. Créditos: Jamerson Costa.

Os amigos Cicera e Expedito, lutam diariamente para manter viva uma das brincadeiras mais populares de Alagoas. Créditos: Jamerson Soares.

Com o figurino já pedindo novas reformas, a luta continua no pequeno povoado do Bananal em Viçosa, mas apesar das dificuldades enfrentadas, Cicera e Expedito se unem numa só voz para afirmar que enquanto vidas tiverem o Reisado no Bananal jamais se acabará.

Perguntamos ao Mestre Expedito se já havia um sucessor na família e ele com esperança no sorriso nos disseram que seu filho com certeza dará continuidade ao legado já centenário da Família Tavares.

Quem quiser contactar o Grupo para apresentações ou até mesmo conhecer basta entrar em contato através dos telefones: (82) 9 9810-9249 – Cicera, coordenadora / (82) 9 9658-0961 – Mestre Expedito.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados