, Domingo - 16 de Junho de 2019

 

Reconhecimento, justiça e desenvolvimento: bolsa da ONU para afrodescendentes

Alyshia Gomes / 7:58 - 24/03/2019


O Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH) está com as inscrições abertas para seu Programa Anual de Bolsas de Estudo para Pessoas Afrodescendentes.

Se observarmos o trajeto da ONU em relação ao tema, podemos citar algumas Resoluções que demonstram a preocupação da organização quanto às questões de Direitos Humanos com objetivo de realizar uma mobilização global de cunho anti-racista. Faço uma breve retrospectiva:

  • Resolução 52/111 de 12 de dezembro de 1997, que convoca a Conferência Mundial contra o Racismo, a Discriminação Racial, a Xenofobia e a Intolerância Conexa
  • Resoluções 56/266 de 27 de Março de 2002, 57/195 de 18 de Dezembro de 2002, 58/160 de 22 de Dezembro de 2003, 59/177 de 20 de Dezembro de 2004 e 60/144 de 16 de Dezembro de 2005, que orientaram a Conferência Mundial e a implementação efetiva da Declaração e Programa de Ação de Durban
  • Resolução 62/122 de 17 de dezembro de 2007, que designou 25 de março como o Dia Internacional em Memória das Vítimas da Escravidão e o comércio transatlântico de escravos
  • Resolução 64/169 de 18 de dezembro de 2009, que proclamou 2011 como o Ano Internacional dos Afrodescendentes
  • Resolução 66/144 de 19 de dezembro de 2011, que incentivou o Grupo de Trabalho de Peritos sobre os Afrodescendentes a desenvolver um programa de ação, incluindo um tema, para ser adotado pelo Conselho de Direitos Humanos, com vistas a proclamar a Década Internacional dos Afrodescendentes até o final de 2013
  • Resolução 68/237 de 23 de dezembro de 2013, que proclamou a Década Internacional dos Afrodescendentes, com início em 1º de janeiro de 2015 e término em 31 de dezembro de 2024, com o tema “Pessoas afrodescendentes: reconhecimento, justiça e desenvolvimento”.

Certamente que este espaço tem como um de seus objetivos a divulgação de oportunidades internacionais. Razão pela qual eu poderia, apenas, ter mencionado que o edital está aberto. No entanto, certa de que minha responsabilidade enquanto ser humano exige uma atuação em prol da construção de uma sociedade pacífica, e isto inicia com a tomada de consciência, faço questão de descrever este rol de documentos jurídicos para que você entenda que não estamos falando apenas de uma boa oportunidade. Trata-se de mais uma atividade  lançada na tentativa de, efetivamente, melhorar a situação dos direitos humanos dos povos afrodescendentes em todo o mundo.

Segundo o site do programa, o bolsista terá a  “oportunidade de aprendizagem intensiva com pessoas de ascendência africana em questões de direitos humanos de particular importância para as(os) afrodescendentes em todo o mundo. Os tópicos incluem: direito dos direitos humanos, formas de discriminação racial, acesso à justiça, ‘perfilamento racial’ (racial profiling), entre outros. Bolsistas aprendem sobre uma ampla gama de instrumentos e mecanismos legais antirracismo da ONU, promovendo capacitação para combater o racismo e a discriminação racial, bem como na proteção e promoção dos direitos humanos.”

O programa ocorrerá em Genebra (Suíça), de 25 de novembro a 13 de dezembro e os bolsistas serão beneficiados com a passagem de avião (classe econômica), plano de saúde básico  e uma verba para cobrir custos de hospedagem e outros gastos essenciais

Para participar, o interessado deverá  ser fluentes em inglês ou francês, ter um mínimo de 4 anos de experiência profissional na promoção de direitos afrodescendentes e  fazer parte de uma organização que trabalha em questões relacionadas com pessoas de ascendência africana ou direitos das minorias. As inscrições estão abertas até dia  30 de abril de 2019.

Como acompanho o programa há alguns anos, sempre vejo comentários de pessoas que desanima  por conta do idioma. Se este é o teu caso, lembre-se que o edital é lançado anualmente e ainda estamos em 2019. E então, ao trabalho? Para mais informações, site  e conheça todos os detalhes desta oportunidade.

Quer enviar comentários, questões ou sugestões? Você pode entrar em contato através do email alyshiagomes.ri@gmail.com.

Alyshia Gomes escreve sobre Educação Internacional e temas correlacionados no jornal “O DIA ALAGOAS” e no site “O Dia Mais”. Também orienta interessados em estudar fora do Brasil e atende instituições de ensino em processo de internacionalização.


Comentar usando