Quando a mulher diz não é não; insistir é crime e deve ser punido

Gente, se a mulher não quer é não. Não é não. A mulher tem o direito ao seu corpo e a fazer dele o que bem quiser. Isso não significa que, sem autorização, qualquer um pode se aproveitar dela. Simples assim.

Quando a mulher diz não é não; insistir é crime e deve ser punido

Gente, se a mulher não quer é não. Não é não. A mulher tem o direito ao seu corpo e a fazer dele o que bem quiser. Isso não significa que, sem autorização, qualquer um pode se aproveitar dela. Simples assim.

Por Antonio Pereira | Edição do dia 1 de outubro de 2021
Categoria: Opiniões | Tags: ,,,,,,,,,,,


Já são inúmeros casos de mulheres vítimas de abuso sexual, mas que acabam sendo duplamente abusadas por parte da opinião pública.

O caso mais recente da modelo Dayane Mello no programa A Fazenda, quando foi abusada pelo cantor Leno Maycon Viana Gomes, o Nego do Borel. Todo o desenrolar do abuso foi filmado e transmitido ao vivo para assinantes do programa. Pois bem, acontece que parte do público ficou contra a modelo, alegando que ela teria consentido o abuso, já que insistia em ficar na cama com o abusador.

Acontece que Dayane estava visivelmente embriagada, sem condições motoras e, sim, foi abusada pelo cantor. Inclusive parte dos participantes, notadamente os homens, retiraram a modelo várias vezes da situação e chamaram a atenção de Nego do Borel sobre os atos inadequados dele, se aproveitando da embriaguez de Dayane para praticamente praticar um estupro em rede nacional.

Diante de todas as evidências, mesmo assim, muitos brasileiros e brasileiras questionaram se realmente foi um abuso sexual. Alguns chegaram a acusar a modelo, numa retórica impressionante de inversão de valores.

Gente, se a mulher não quer é não. Não é não. A mulher tem o direito ao seu corpo e a fazer dele o que bem quiser. Isso não significa que, sem autorização, qualquer um pode se aproveitar dela. Simples assim.

Muitas vezes fico até espantado que parte da opinião pública, notadamente mulheres, acabam ficando do lado do abusador, alegando que a mulher em questão teria ‘se engraçado’, ‘se insinuado’. Ou seja: praticamente se a mulher sorrir para um homem, ela estaria dando autorização para que ele a toque sem o seu consentimento. Isso, certamente, não pode ser aceito.

Ainda precisamos avançar muito para garantir respeito em questões sexuais, ainda mais no que se refere a mulher. Muitos dos homens acreditam que podem tudo, basta a mulher demonstrar o menor interesse. Eis a grande questão: volto a dizer, a mulher tem todo o direito de recusar uma carícia, um beijo, ou uma transa, mesmo que tenha beijado o cara. Não é sempre não. Insistir é crime e deve ser punido nos rigores da lei.

Visite minhas redes sociais:

Facebook – https://www.facebook.com/toinhopereira

Instagram – https://www.instagram.com/toinho_pereira0748/

Twitter – https://twitter.com/antoniotoinho07

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados