Quadrilha sequestrou homem antes de atacar banco; 3 suspeitos foram mortos

O homem que foi feito refém estava no mesmo carro em que os três criminosos foram baleados

Por Assessoria G1 | Edição do dia 14 de agosto de 2020


Polícia Militar (PM) informou que os suspeitos de explodir um caixa eletrônico no Centro de Brumadinho e de fazer uma família refém, nesta sexta-feira (14), também sequestraram um homem em Itaguara, na Região Metropolitana de Belo Horizonte. Três dos criminosos morreram e dois foram presos.

Nesta madrugada, houve um tiroteio no Centro da cidade, onde fica a agência da Caixa, e três suspeitos foram baleados. Segundo a PM, eles foram socorridos e levados para o Hospital Regional de Betim, mas não resistiram aos ferimentos.

De acordo com o comandante do Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope), tenente coronel Eduardo, os militares atiraram em legítima defesa contra os suspeitos que estavam dentro do carro. Um dos homens que estava no veículo não foi atingido pelos disparos. Ele, na verdade, era uma vítima, que tinha sido sequestrada em Itaguara.

“Interessante destacar que, dentro desse caro havia quatro pessoas, uma delas apresentava um comportamento completamente diferente, ele não estava armado e ele estava com comportamento como se estivesse assustado. Posteriormente viemos a descobrir que essa pessoa era uma vítima desses autores do crime. O homem foi sequestrado em Itaguara”, relatou o coronel.

Outros dois suspeitos invadiram uma casa para tentar se esconder. Segundo o major Wamberto Magalhães, eles fizeram os moradores reféns – um homem e duas mulheres – e foram presos após negociação. As vítimas não se feriram. Segundo a PM, elas ficaram sob a mira dos bandidos por cerca de duas horas.

“Uma das nossas equipes comandadas pelo major Rodrigues adentrou a essa residência, iniciou-se então a negociação através do nosso interventor e, posteriormente, uma equipe do Bope assumiu a negociação encerrada com êxito com a prisão dos indivíduos e liberação imediata dos reféns”, disse o tenente coronel Márcio Bocher em entrevista coletiva.

O bando seria de Divinópolis, na Região Centro-Oeste de Minas Gerais. “Todas as organizações criminosas estão sendo monitoradas pelo nosso serviço de inteligência”, disse o capitão Reginaldo Salles.

Segundo a PM, os suspeitos acumulam passagens pela polícia por crimes como homicídio, tráfico de drogas, porte ilegal de arma de fogo e explosões de caixa eletrônico. Um dos membros da quadrilha tinha deixado a prisão havia apenas duas semanas.

Com o grupo, foram apreendidos uma escopeta calibre 12 de cano longo, quatro pistolas semiautomáticas, coletes à prova de balas e máscaras ninjas.

Quatro explosivos improvisados, conhecidos como “metalon”, foram encontrados. Um deles foi usado para provocar os estragos na agência. O local passava por perícia da Polícia Civil nesta manhã.

A Caixa informou que a agência de Brumadinho ficará fechada nesta sexta-feira (14). A orientação é que os usuários procurem atendimento em casas lotéricas ou agências próximas.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados