Projeto que doa livros realiza rifa para instalar estantes em associações comunitárias

Educa em Ação surgiu em 2018 a partir de um projeto de extensão de um grupo de alunos universitários

Projeto que doa livros realiza rifa para instalar estantes em associações comunitárias

Educa em Ação surgiu em 2018 a partir de um projeto de extensão de um grupo de alunos universitários

Por Thatyana Ferreira - estagiária sob supervisão | Edição do dia 7 de janeiro de 2021
Categoria: Educação, Notícias | Tags: ,,,


Um projeto educacional que doa livros em Maceió está realizando uma rifa solidária para implantar estantes em pontos de apoio. Esses pontos de apoio são associações comunitárias localizadas em alguns bairros da capital alagoana. O prêmio da rifa é um ventilador e o sorteio será no dia 30 deste mês.

O projeto Educa em Ação surgiu em 2018 a partir de um projeto de extensão de um grupo de alunos universitários. Eles atendiam em Centros Municipais de Educação Infantil.  “Mas sentíamos que os processos educacionais coexistiam para além dos muros da escola “, explica Rosely Frazão (32), uma das fundadoras do projeto, sobre a decisão de expandir o campo de atuação.

“Então propomos pra os outros períodos do curso de Pedagogia e Educação Física, prioritariamente, um fazer propositivo no sentido de acesso ao conhecimento. Neste, percebemos a formação de leitores como vereda fecunda.”

Atualmente o Educa em Ação conta com 41 voluntários que ajudam nessa distribuição de livros. No ano passado, eles realizaram algumas ações em praças da capital alagoana. Pendurando livros em árvores para que crianças e adultos pudessem colher.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Rifa Solidária

Um dos membros do Educa em Ação teve a ideia da rifa. O grupo, em sua maioria, é formado por educadores que acabaram ficando sem renda durante a pandemia. A maior intenção foi não deixar o projeto parar e custear a organização da implantação de estantes pela cidade. O valor da rifa é de três reais.

Foto: Divulgação

Incentivo a Leitura

Maceió é capital do Nordeste que menos lê, tendo apenas 37%  de leitores. Indo em contramão em relação ao resto da região que possui cinco capitais entre as dez com o maior número de leitores do Brasil. Os dados são de uma pesquisa realizada pelo Instituto Pró-Livro.

Rosely acredita que a leitura trás o ‘poder’ de ajudar na comunicação e auxilia em na atuação em campos sociais. Isso porque um livro pode inserir o leitor em diversos contextos socioculturais. “Nós do projeto Educaemação percebemos a leitura como possibilidade”, reflete.

“Para nós, mais do que defender condições igualitárias, é salutar que trabalhemos no sentido do acesso que inquestionavelmente, neste contexto, é sinônimo da leitura”, finaliza Rosely Frazão.

Como ajudar

Todo o projeto é mantido através de doações de moradores de Maceió e escolas que ajudam na doação de livros e material didático, mas em sua maioria os voluntários organizam vaquinhas e rifas como essa para custear os gastos necessários e realizar ações.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados