Projeto Aluísio Lopes leva esperança a pessoas em vulnerabilidade social

Doações de alimentos e produtos de higiene, cortes de cabelos e banho solidário são algumas ações desenvolvidas pela ação

Projeto Aluísio Lopes leva esperança a pessoas em vulnerabilidade social

Doações de alimentos e produtos de higiene, cortes de cabelos e banho solidário são algumas ações desenvolvidas pela ação

Por Assessoria | Edição do dia 20 de dezembro de 2021
Categoria: Alagoas | Tags: ,,,,


O Projeto social independente e sem fins lucrativos Aluísio Lopes vem trazendo solidariedade aos mais necessitados em Maceió e Marechal Deodoro. Já foram diversas ações que contribuíram com um melhor tratamento a crianças atendidas por Organizações Não-Governamentais, idosos que vivem em um contexto social de exclusão e foram acolhidos por instituições de caridade, e pessoas que estão em situação de rua. As mais recentes ações foram realizadas no último sábado (18), com a entrega de 70 cestas básicas para uma comunidade no bairro do Ouro Preto, e a entrega de leite e fraldas geriátricas para o Lar Francisco de Assis, na Serraria, que desenvolve um trabalho filantrópico com idosos.

A idealizadora do projeto, Socorro Lopes, conta que as doações de amigos e voluntários contribuem para melhorar um pouco a vida de pessoas que passam por dificuldades. “É muito gratificante contribuir de alguma forma para amenizar a angústia dos mais necessitados. Realizamos essa ação no Ouro Preto e pudemos constatar o quão felizes eles ficaram com essa ajuda do projeto”, disse.

Já no Lar Francisco de Assis, foram doados 500 fraldas e 100 pacotes de leite. A dona Elisabete, que ajuda a cuidar dos idosos, falou da importância das doações para o abrigo. “Para nós, fraldas são como barras de ouro. Aqui no abrigo temos 80 idosos, apenas 10 não usam fraldas. Quando recebemos doações de fraldas ficamos aliviados porque sabemos que tem um custo elevado. E é algo que precisamos constantemente”, disse.

OUTRAS AÇÕES

No começo do mês, o projeto resgatou uma ação que não acontecia há quase um ano e meio: o banho solidário. Duas cabines com chuveiros e um reservatório de água foram adaptados em reboque de uma caminhonete para que não fosse preciso de um lugar fixo para realizar a ação. O primeiro local escolhido foi a Praça Deodoro, no Centro, mas já há a intenção de expandir para outras praças.

“Conseguimos doações de sabonetes, xampus e desodorantes para realizar essa ação do banho solidário. Então montamos as cabines e adaptamos na carrocinha de um carro para que pudéssemos ter a opção de levar o banho para qualquer lugar. Até agora deu tudo certo. Quando finalizamos a ação na Praça Deodoro, fomos para a Praça Sinimbu onde também tem muitas pessoas em situação de rua. Infelizmente a nossa água acabou e ficamos de voltar lá no próximo banho solidário”, disse Socorro Lopes.

Além do banho, foram realizados cortes de cabelos, barbas e penteados através de uma parceria com o salão de beleza ‘Studio de Beleza’, pertencente a uma voluntária do projeto que também abraçou a causa. Dois profissionais realizaram os cortes e penteados em crianças, adultos e idosos. Tudo realizado no meio da praça, a céu aberto. Foram atendidas 150 pessoas nessa ação solidária.

Já no Centro Barra Nova, ONG localizada em Marechal Deodoro que trabalha na formação socioeducativa, religiosa e cultural de meninos de rua, o Projeto Aluísio Lopes contribuiu com material escolar e mochilas, no final de novembro, já pensando no futuro das crianças com o ano letivo de 2022 batendo à porta. Lanches, cestas básicas e outros alimentos também foram distribuídos, além de um violão para projetos musicais. Na última semana, o projeto doou uma árvore de Natal que renovou o espírito natalino dos voluntários e integrantes da ONG.

AGENDA

Os voluntários do projeto programaram um dia especial voltado para os idosos na Associação Acolhimento Mãe das Graças, no Village Campestre II, com doações de cestas básicas, lanches e presentes, ainda sem data definida. No dia 24, véspera de Natal, os voluntários levarão alimentos e afeto para moradores de rua. Os locais escolhidos foram as praças do Centro de Maceió.

Para essas ações, a ideia é arrecadar 400 toalhas de banho; 400 kits de higiene pessoal (sabonete, escova e creme dental); 400 águas de garrafinha; 400 achocolatados; 400 panetones; 550 pacotes de biscoitos; 400 sucos de caixinha; 50 litros de leite; 180 pacotes de fraldas geriátricas; e 60 cestas básicas.
O projeto ainda não conta com apoio de empresas ou órgãos públicos. Mas, qualquer pessoa pode ser voluntária nas ações solidárias ou contribuir financeiramente para a aquisição de mantimentos, através da chave PIX: 644.952.134-15. O CPF é o da própria idealizadora do projeto, Socorro Lopes.
Para Davyd Faria, um dos voluntários do projeto, a ação é fundamental para levar um pouco de esperança aos mais necessitados e renovar a própria fé.

“Levaremos alimentos para o corpo e para a alma. Vamos ficar com nossos irmãos, conversar com eles, ouvi-los. Procurar entender suas angústias e sofrimento para poder tentar apaziguar um pouco a tormenta em seus corações. Não é muita coisa, mas acreditamos que pode fazer uma grande diferença para eles que muitas vezes só querem um pouco de atenção, afeto e amor, tão negados em suas vidas”, comentou.

INÍCIO DO PROJETO

Socorro Lopes conta que, antes de existir o projeto, seu marido ajudava algumas pessoas com doações de alimentos sempre que podia. Após o falecimento dele, ela sentiu a necessidade de continuar a corrente de boas ações, substituindo a dor do luto pelo amor ao próximo.

“O Aluísio [Lopes] tinha 58 anos, gozava de boa saúde e praticava esportes regularmente. Era uma pessoa extremamente carismática e querida por todos. Tínhamos 26 anos de casados. Uma vida. Ele faleceu de um mal súbito enquanto jogava futevôlei com os amigos na praia da Pajuçara, às 7h30 da manhã. Foi uma tragédia para toda a família”, conta.

“Os amigos o socorreram e realizaram reanimação cardiopulmonar enquanto o SAMU e os bombeiros chegavam. Tudo o que tinha que ser feito para salvá-lo, foi feito. Mas era o dia dele. Depois de algum tempo após essa fatalidade, eu precisava escolher entre chorar ou seguir com algo que pudesse transformar toda minha dor e a dos meus filhos em amor e em serviço aos irmãos mais necessitados”, disse.

A primeira ação foi em família com a entrega de 400 hambúrgueres e 30 litros de saladas de frutas um mês após a morte de Aluísio. Nascia o Projeto Aluísio Lopes. Os alimentos foram entregues em abrigos e outras ações foram desenvolvidas, desta vez com pessoas em situação de rua. “Após essa primeira ação com meus filhos, sobrinhos e irmãos, cresceu essa vontade de irmos para as ruas e levarmos alimentos, demonstrar o nosso afeto, dar atenção e amor. Só o fato de chamá-los pelos nomes já fazem com que se sintam acolhidos”, conta.

O Projeto Aluísio Lopes vem crescendo e contando com o apoio dos amigos. Já conseguiu ajudar crianças e adolescentes em vulnerabilidade social e idosos desamparados através de instituições sociais sem fins lucrativos como o Lar Mãe das Graças, Lar Santo Antônio de Pádua, Lar Francisco de Assis, Casa Betânia da Paz e o Centro Barra Nova.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados