Profissionais da Segurança e da Educação podem ser incluídos em grupo prioritário

Renan Filho assinou carta conjunta com governadores do Nordeste que solicitam ao Ministério da Saúde a inclusão das categorias no Plano Nacional de Imunização

Profissionais da Segurança e da Educação podem ser incluídos em grupo prioritário

Renan Filho assinou carta conjunta com governadores do Nordeste que solicitam ao Ministério da Saúde a inclusão das categorias no Plano Nacional de Imunização

Por Assessoria | Edição do dia 31 de março de 2021
Categoria: Saúde | Tags: ,,,,,,


Governador de Alagoas em entrevista a Band News. Foto: Reprodução

Em entrevista a TV Band News na manhã desta quarta-feira (31), o governador Renan Filho revelou que os governadores do Nordeste assinaram uma carta enviada ao Ministério da Saúde para inserir os profissionais da segurança pública e da educação como categorias prioritárias no Plano Nacional de Imunização contra a Covid-19.

“Ontem escrevemos uma carta ao ministro solicitando a inclusão de todos os profissionais de segurança pública, e também os professores, na prioridade do Plano Nacional de Imunização”, confirmou Renan Filho. “As forças de segurança estão nas ruas, não têm condição de ter atividade remota, especialmente os mais velhos, que correm mais riscos. E os professores e os profissionais da educação também precisam ser imunizados para que o Brasil encontre um caminho para o retorno às aulas presenciais com mais segurança”, justificou o governador.

O gestor considera a volta da atividade escolar um dos maiores desafios no enfrentamento ao novo coronavírus. No atual estágio da pandemia, o retorno das aulas presenciais na rede privada de ensino contribui como parâmetro para o Estado observar o comportamento da transmissão na área da Educação.

“Aqui em Alagoas, nós estamos avaliando detalhadamente como está o funcionamento das escolas particulares. No Nordeste, a maior parte das pessoas estuda em escolas públicas, de maneira que as escolas particulares, que são menores em quantidade, permitem uma avaliação mais detalhada do que significa o retorno das aulas presenciais. Isso também está nos ajudando no planejamento para a abertura das escolas públicas”, pontuou Renan Filho.

Fase Vermelha

Durante a entrevista, o governador também falou sobre a prorrogação do Decreto Emergencial anunciada na tarde de ontem, terça-feira (30), e que mantém todo o estado na Fase Vermelha do Plano de Distanciamento Social Controlado. “Por prudência, resolvemos prorrogar o decreto por mais 14 dias”, esclareceu Renan Filho. “Na Semana Santa, nós ampliamos a restrição do final de semana para o feriado”, complementou, ao destacar a proibição do acesso às praias durante a Páscoa.

Ao responder sobre o andamento da vacinação em território alagoano, o chefe do Executivo destacou o quarto lugar ocupado atualmente por Alagoas no ranking dos estados brasileiros que mais aplicaram os imunizantes recebidos. “Da quantidade que recebemos, aproximadamente, 78% já foram administradas nas pessoas”, calculou.

Por outro lado, o governador reconheceu que o processo “está andando dentro das possibilidades das vacinas enviadas pelo Ministério da Saúde”. “Precisamos intensificar a vacinação, crescer mais esse percentual e também receber mais vacinas do Governo Federal”, vaticinou.

Sputnik

Em paralelo, Alagoas tem atuado junto aos demais estados da região noutra frente para a aquisição de mais imunizantes. “Os governadores do Nordeste adquiriram as vacinas Sputnik. A gente espera receber o primeiro lote já em abril. Vamos destinar esse lote ao Plano Nacional de Imunização, em um acordo que fizemos como o ministro Marcelo Queiroga”, revelou Renan Filho.

Com investimentos expressivos na Saúde e medidas governamentais eficazes, o Estado tem se tornado referência para todo o país. Contudo, os próximos dias exigirão atenção e, principalmente, o apoio da população. O governador fez o alerta, mas disse seguir esperançoso.

“Estamos otimistas que, durante todo o mês de abril, com a intensificação do processo de vacinação, a gente consiga observar menor quantidade de pessoas doentes por Covid-19 e, por conseqüência, menor quantidade de pessoas hospitalizadas e também a redução de mortes”, comentou. “A partir daí, a gente pode começar uma nova flexibilização para verificar como equilibramos o funcionamento dos setores produtivos com as necessidades sanitárias que o estado e o país vivem nesse momento”, finalizou o governador.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados