Privatizações favorecem crime organizado

Você que está lendo esse texto, saiba que, provavelmente, terá que trabalhar a vida inteira e no final será mais um explorado

Privatizações favorecem crime organizado

Você que está lendo esse texto, saiba que, provavelmente, terá que trabalhar a vida inteira e no final será mais um explorado

Por Antonio Pereira | Edição do dia 8 de fevereiro de 2022
Categoria: Opiniões | Tags: ,,,,,


Imagine um território sem lei. Sem regulamentação transparente, sem controle. Se você pensou no Brasil, México, Argentina, Rússia, Espanha, Inglaterra, acertou no alvo. Todos esses países sofreram um movimento internacional de privatização de tudo o que faz parte da vida das pessoas. Telefonia, abastecimento de água, energia elétrica, estradas, portos, aeroportos, tudo isso foi entregue à iniciativa privada. Pior: foi vendido ao grande público através da mídia corporativa como algo bom, benéfico, modernizante, capaz de nos levar ao próximo milênio. Algo muito, muito bom.

Acontece que passados muitos anos vemos que isso tudo não passava de uma grande jogada de destruição das conquistas sociais. Hoje, milhões de brasileiros estão sem emprego, sem renda, sem energia, sem comunicação e jogados no lodaçal da miséria.

Tudo isso graças ao neoliberalismo dos anos noventa. Antes tínhamos algumas dezenas de abastados seres humanos que detinham uma parte da riqueza da humanidade. Esses poderiam viver até morrer, seus descendentes e seus sucessores e mesmo assim seriam ricos. Agora, uma casta cada vez mais elitizada domina praticamente tudo o que se produz no mundo. Eles são onipresentes, são soberbos e vivem de sugar as riquezas de todos nós.

Você que está lendo esse texto, saiba que, provavelmente, terá que trabalhar a vida inteira e no final será mais um explorado. Sim, esse é o fim de cada um de nós. Essa balela de que o trabalho enobrece, só beneficia quem tem o capital. Nós, pobres somos apenas números nessa odisseia mundial de exploração.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados