Presidente do TJAL defende uso da inteligência artificial para agilizar processos; entenda

‘Tribunal está receptivo a todas essas tecnologias, que trazem celeridade e reduzem custos’, disse Klever Loureiro

Presidente do TJAL defende uso da inteligência artificial para agilizar processos; entenda

‘Tribunal está receptivo a todas essas tecnologias, que trazem celeridade e reduzem custos’, disse Klever Loureiro

Por Assessoria | Edição do dia 10 de fevereiro de 2021
Categoria: Justiça, Notícias, Tecnologia | Tags: ,,,,


Em reunião, presidente do TJAL discutiu os recursos tecnológicos e como eles devem ser úteis à sociedade. Foto: Reprodução

O presidente do Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL), Klever Loureiro, defendeu o uso da inteligência artificial para agilizar processos. Ferramenta desenvolvida pela Universidade Federal de Alagoas (Ufal) já vem sendo utilizada em duas varas da capital e deve ser levada para outras unidades.

“Defendo essa ampliação e já informei que o Tribunal está receptivo a todas essas tecnologias. Elas trazem celeridade, reduzem os custos e desocupam os servidores de tarefas repetitivas”, destacou o desembargador.

O software desenvolvido se chama Hércules e vem sendo usado na 15ª Vara (Execuções Fiscais) e na 30ª Vara (Saúde). Só na primeira ele analisou mais de 10.000 petições intermediárias de processos.

De acordo com o juiz Wlademir Paes de Lira, gestor do convênio com a Ufal, a ferramenta lê petições e faz a triagem de peças, dando condições para que as varas agilizem os procedimentos para conclusão dos processos. “Essas foram as varas-piloto por conta da quantidade de ações, mas o Hércules pode ser utilizado em qualquer unidade. Depois de bem testado na 15ª e na 30ª, podemos estender para varas da área de família e outras cíveis também”.

Depósitos Judiciais

A parceria do TJAL com a Ufal possibilitou a criação de um outro software, apelidado de Spartacus, criado para gerir depósitos judiciais. O objetivo, segundo o juiz, é organizar o cadastro de depósitos para que o Tribunal tenha o controle deles.

“O TJAL acaba refém dos bancos que detêm a tecnologia para controlar os depósitos. O passo seguinte é que a gente passe a controlar e os bancos fiquem apenas com a guarda do dinheiro, fazendo os pagamentos por meios dos alvarás expedidos”, explicou.

De acordo com o magistrado, um cronograma será montado para que as varas comecem a utilizar a ferramenta. “Inicialmente para que atualizem os cadastros e comecem a se familiarizar com o sistema. A ferramenta definitiva esperamos que seja implantada até o final do ano”.

Segundo o professor Krerley Oliveira, do Laboratório de Estatística e Ciência de Dados da Ufal, os softwares estão em constante evolução para entregar o melhor resultado possível. “Os trabalhos não param. O Hércules acerta em mais de 90% das vezes, o que é um índice muito bom”, avaliou.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados