Prefeitura investe em plataforma online para modernizar trabalho dos agentes de endemias

Marechal Deodoro é o primeiro município a implantar essa ferramenta que em breve deverá ser expandida para outros municípios; Agentes de endemias passarão a usar a ferramenta durante as visitas, por meio de tablets

Por | Edição do dia 26 de fevereiro de 2018
Categoria: Notícias, Saúde | Tags: ,


A Prefeitura de Marechal Deodoro vem investindo cada vez mais em tecnologia e desta vez, a Secretaria de Saúde implantou uma ferramenta online para o trabalho dos Agentes de Endemias, com o uso de tablets. O município é o primeiro a ter a plataforma, que é um complemento do aplicativo ESUS+, já usado no município pelos Agentes Comunitários de Saúde, e tem como objetivo evitar o uso de papéis nas visitas às residências e facilitar o trabalho dos agentes, tornando-o mais rápido e eficiente.

O Agente de Combate a Endemias (ACE) executa vistoria de residências, depósitos, terrenos baldios e estabelecimentos comerciais para buscar focos endêmicos. Além de realizar uma inspeção cuidadosa de caixas d’água, calhas e telhados, aplicação de larvicidas e inseticidas, orientações quanto à prevenção e tratamento de doenças infecciosas e recenseamento de animais. Dessa forma, a plataforma irá auxiliar esse trabalho, garantindo mais eficiência e agilidade.

A plataforma, desenvolvida pela Sysvale Softgroup Tecnologia LTDA, passou por uma série de testes em toda a região da Santa Rita e Broma. Os testes foram realizados pelos agentes de endemias da Secretaria de Saúde do Estado (SESAU), e a partir disso, foram solicitados alguns ajustes e modificações para que assim o aplicativo ficasse em perfeitas condições para o uso dos agentes.

Com o ajustes realizados, o objetivo da Sesau é validar a plataforma e expandir para outros municípios.

Como vai funcionar o trabalho?

Durante a visita, os agentes irão cadastrar a casa com o nome do morador e cartão do SUS no aplicativo e, desta forma, o coordenador dos agentes de endemias irá saber exatamente os locais por onde foi realizada a visita de acordo com o mapa. Ao final do dia, todas as informações estarão unificadas com os resultados obtidos nas visitas. O coordenador dos agentes vai poder ver também onde estão os focos de dengue de acordo com o mapa.

Além disso, com as informações detectadas, o laboratorista vai poder identificar qual foi a larva encontrada no local, e realizar um estudo para executar o tratamento necessário.

Para o Secretário de Saúde, Aérton Lessa essa plataforma além de facilitar o trabalho dos agentes e dar maiores resultados na prevenção contra as doenças, irá também reduzir gastos.

“A parceria com o estado é muito importante porque está sendo adaptada para ser de uso estadual, para que quando tiver com todas as modificações a plataforma seja expandida para outras cidades. A equipe da Sesau reconhece que o trabalho dos agentes é muito arcaico, então se interessaram pelo aplicativo, fizeram uns testes e solicitaram uma série de modificações para melhorar a plataforma. O trabalho de campo mudou da água pro vinho. Além disso, teremos uma redução de despesas em torno de cento e vinte mil reais ao ano”, explicou.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados