Porta dos Fundos tira do ar esquete que gerou polêmica

O grupo foi acusado de machismo por fazer uma paródia com uma personagem fictícia mas que os internautas associaram com uma vereadora

Porta dos Fundos tira do ar esquete que gerou polêmica

O grupo foi acusado de machismo por fazer uma paródia com uma personagem fictícia mas que os internautas associaram com uma vereadora

Por Notícias ao Minuto | Edição do dia 24 de novembro de 2020
Categoria: Cinema, Diversão | Tags:


Foto: Divulgação

Após grande polêmica com relação a um esquete publicado no último domingo (22), o Porta dos Fundos resolveu tirar do ar o vídeo “Yollanda Vereadora”. Em nota, o canal afirma que o vídeo “não condiz com o que acredita e, por isso, optou por tirá-lo de seus canais”.

Segundo o canal, a personagem já existe há nove anos e trata-se de uma senhora que preza pela sua liberdade sexual, e que é totalmente fictícia. “Em nenhum momento o Porta dos Fundos tentou parodiar ou fazer graça com qualquer pessoa real. O Porta dos Fundos acredita que o Brasil precisa de mais mulheres em cargos públicos e agradece a sua comunidade por estar sempre trocando e crescendo juntos”, diz parte da nota.

ENTENDA O CASO

Internautas acusam o Porta dos Fundos de fazer uma esquete de humor machista. A polêmica gira em torno de um vídeo publicado neste domingo (22), que satiriza a eleição de uma vereadora pelo Partido Novo. No quadro, a personagem Yollanda foi a parlamentar mais votada nas eleições municipais de Curitiba. Em conversa com a filha, ela fala que vazou nudes de si mesma e participou de orgias.

O influenciador Felipe Neto foi um dos que se manifestaram contrários ao vídeo. “Eu acho o partido NOVO patético. Típica turminha neoliberaloide que sonha em ver ricos ficando mais ricos, enquanto grita “É meritocracia” pros mais pobres. Contudo, o vídeo feito pelo Porta dos Fundos sobre a vereadora do partido foi inaceitável. Totalmente horrível”, disse.

Para muitos internautas, a esquete seria uma ofensa à vereadora Indiara Barbosa, do partido Novo, que foi a mais votada para a Câmara Municipal de Curitiba, nas eleições do último dia 15. Por meio do Twitter, ela também lamentou o vídeo. “Apesar de ter sido a vereadora mais votada de Curitiba, pelo @partidonovo30, certamente essa personagem não sou eu. É uma pena que o @portadosfundos associe o sucesso de uma mulher a alguma conotação sexual. Temos muito trabalho para mudar essa cultura retrógrada”, escreveu.

O partido Novo também repudiou a esquete: “É uma falta de respeito, não só com nossa vereadora eleita, @IndiaraNOVO, mas com todas as mulheres que tiveram a coragem de se candidatar a um cargo público, independentemente do partido.”

“Que nojo. Que vídeo machista. Eu não sou alinhada com o Novo e não votei na Indiara, mas merecemos respeito independentemente dos posicionamentos políticos. Melhorem muito”, escreveu uma internauta.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados