Poluição do ar gerada pela globalização mata 750 mil pessoas por ano, aponta estudo

Poluição do ar gerada pela globalização mata 750 mil pessoas por ano, aponta estudo

Por | Edição do dia 4 de abril de 2017
Categoria: Meio Ambiente, Notícias | Tags: ,,


Reprodução

Reprodução

A globalização vem ao longo dos anos causando efeitos colaterais de grande impacto. E com cada vez mais fábricas e multinacionais se espalhando ao redor do mundo, a poluição do ar é a grande preocupação dos estudiosos. Uma equipe de cientistas que lidera uma pesquisa sobre a poluição da atmosfera terrestre, descobriu que mais de 400 mil pessoas morreram, desde 2007, após respirar partículas de poluição no ar, conhecidas como PM2.5, que provavelmente foram levadas no vento de uma região do planeta para outra. Além do mais, também concluíram que essas partículas levaram mais cerca de 762 mil pessoas a morrer mais cedo do que poderiam.

Um artigo sobre o estudo, publicado na revista Nature, mostra que milhões de pessoas morrem todos os anos de doenças respiratórias causadas pela exposição ao ar poluído. “O comércio internacional está contribuindo para a globalização das emissões e poluição como resultado da produção de bens em uma região para o consumo em outra região. Nossos resultados revelam que os impactos transfronteiriços da poluição das partículas PM2.5 associados ao comércio internacional são maiores do que os associados ao transporte de poluentes atmosféricos de longa distância”, explica um dos pesquisadores do estudo, Dabo Guan, economista da Universidade de East Anglia.

O número de mortes associadas ao comércio global resulta em cerca de 22% do número total mundial, estimado em 3,45 milhões. O país apontado como o que recebe mais benefícios com a chegada da globalização é a China.Sua economia apresenta crescimento vertiginoso nas últimas décadas, baseada em parte em salário baixos aos trabalhadores. “A melhoria das tecnologias de controle da poluição na China, na Índia e em outros países da Ásia teria um benefício sanitário muito grande nessas regiões e no mundo, apoiando os esforços para redução da poluição”.

Os pesquisadores apontam que a poluição do ar originária na China ajudou a causar a morte prematura em mais de 3 mil pessoas na Europa Ocidental e os EUA. Assim como a atividade produtiva ocorrida na Europa Ocidental e nos EUA foi associada a mais de 108 mil mortes prematuras na China. “A mortalidade prematura relacionada à poluição do ar é mais do que apenas uma questão local e os nossos resultados quantificam a extensão da poluição atmosférica global”, explica Guan ao jornal britânico Independent.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados