Polícia faz operação na Cidade de Deus após queda de helicóptero

Um homem foi preso e com ele foram apreendidos três fuzis e duas pistolas

Por | Edição do dia 20 de novembro de 2016
Categoria: Notícias, Polícia | Tags: ,,,,,


Pelo menos um homem foi preso durante operação realizada pela Polícia Militar do Rio de Janeiro na Cidade de Deus, favela da zona oeste da cidade, neste domingo (20). Com ele foram apreendidos três fuzis e duas pistolas, segundo a PM. O caso foi encaminhado à 32ª DP (Taquara).

A ação, que começou durante a madrugada, foi determinada pela cúpula da Segurança Pública do Rio após a queda de um helicóptero da PM, ocorrida por volta das 19h30 deste sábado (19). Os quatro policiais que estavam na aeronave morreram. Ainda não se sabe se a aeronave sofreu uma pane ou foi alvejada por criminosos. Ela era usada no apoio a uma operação policial que ocorria na Cidade de Deus ao longo do sábado.

Na manhã deste domingo, as principais ruas da Cidade de Deus estavam interditadas.

Confrontos

Durante todo o dia de ontem houve confrontos entre policiais, traficantes e milicianos. A Linha Amarela, via expressa que liga as zonas norte e oeste do Rio, chegou a ser fechada duas vezes devido aos tiroteios.

Os policiais mortos são o major Rogério Melo Costa, 36, o capitão William de Freitas Schorcht, 37, o subtenente Camilo Barbosa Carvalho, 39, e o sargento Rogério Felix Rainha, 39. Os corpos chegaram à 0h30 deste domingo ao Instituto Médico-Legal, onde permanecem.

Peritos analisam peças de helicóptero da PM que caiu no Rio de Janeiro (Foto: Marcelo Carnaval/Agência O Globo)

Peritos analisam peças de helicóptero da PM que caiu no Rio de Janeiro (Foto: Marcelo Carnaval/Agência O Globo)

Na noite de sábado, após a queda, chefes das polícias Civil e Militar se reuniram com autoridades da Secretaria Estadual de Segurança no Centro Integrado de Comando e Controle, no centro do Rio, para uma reunião emergencial. Dali surgiu a ordem para que durante a madrugada fosse feita uma operação policial na Cidade de Deus, realizada por policiais militares de diversos batalhões.

Troca de tiros

Desde a sexta-feira (18) foram registrados intensos confrontos entre criminosos da favela Cidade de Deus. Na manhã de sábado, eles voltaram a se enfrentar e traficantes bloquearam a avenida Edgard Werneck, que é a principal da Cidade de Deus, onde fica a base da UPP, com pneus e lixeiras incendiados. Policiais da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) trocaram tiros com os criminosos.

Nas redes sociais, moradores relataram o dia de tiroteios. “A bala tá comendo na CDD. Só escuto os cara da Bope [Batalhão de Operações Policiais Especiais] gritando: ‘Sai da rua morador'”, escreveu um rapaz, uma hora antes de o helicóptero cair. Um traficante postou uma foto, com um fuzil. “Nada mudou. Nós ‘tá’ na pista”, escreveu.

Após a queda do helicóptero, a PM lamentou a morte dos policiais. “A Polícia Militar do Estado do Rio de Janeiro lamenta o falecimento de seus policiais militares e o Comando da Corporação está dedicado a prestar todo apoio às famílias desses policiais”, disse a instituição.

Outra nota foi publicada na página oficial da corporação no Facebook. No comunicado é mencionada a morte de outro policial ocorrida neste sábado. O 3º Sargento Cristiano Bittencourt Coutinho participava de uma outra operação quando foi atingido por um tiro após a viatura em que se encontrava ter sido alvejada no bairro Jacaré:

A #PMERJ e a sociedade hoje estão tristes, perdemos cinco heróis que lutavam para defender nossas vidas. Quatro deles do Grupamento Aeromóvel (GAM) se foram na queda do helicóptero em Jacarepaguá, o Major Rogério Melo Costa, 36 anos, Capitão Willian de Freitas Schorcht, 37 anos, Subtenente Camilo Barbosa Carvalho, 39 anos e o 3ºSargento Rogério Félix Rainha, 39 anos. Além deles nos despedimos de mais um herói do 3ºBPM (Méier) que foi assassinado enquanto cumpria seu dever, o 3ºSargento Cristiano Bittencourt Coutinho, 40 anos. Continuem olhando por nós!
O Comando da Corporação está dedicado a prestar todo apoio às famílias desses policiais, além das últimas homenagens. Informação sobre os enterros serão divulgados oportunamente.

Em 2009, dois policiais morreram e três ficaram feridos após um helicóptero da Polícia Militar realizar um pouso forçado no Morro dos Macacos. A aeronave, parcialmente blindada, havia sido atingida por tiros durante uma operação policial. Além dos tripulantes mortos, um capitão da PM foi baleado na perna e outros dois policiais tiveram queimaduras leves.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados