Pokémon Go já mobiliza ”treinadores” em Maceió

Pokémon Go já mobiliza ”treinadores” em Maceió

Por | Edição do dia 4 de agosto de 2016
Categoria: Notícias, Tecnologia | Tags: ,,,,,,


Jogadores brasileiros não precisam mais fazer a cobranças à Niantic. A desenvolvedora do “Pokémon Go” (finalmente) liberou o aplicativo no Brasil na quarta-feira (3). Em Maceió, a febre ‘Pokemón Go’ já mobiliza caçadores.

Estudante encontra pokemon na universidade (Imagem: arquivo pessoal)

Estudante encontra pokémon em universidade (Imagem: arquivo pessoal)

Lançado no começo de julho, inicialmente apenas na Austrália, Estados Unidos e Nova Zelândia, o game chegou a funcionar em ao menos duas ocasiões no Brasil, depois saiu do ar. A estudante de Jornalismo Laura Lima foi uma das pessoas que conseguiu experimentar, por alguns momentos, como é caçar Pokémon no mundo real antes do lançamento.

Segundo ela, buscar pokémons no mundo real é a característica mais interessante do game. “O jogo consegue juntar o mundo real com o virtual, já que para encontrar os pokémons, os centros de treinamento e os pokestops (para abastecer as pokebolas), você tem que ir até eles de verdade”, conta. Para a estudante, é um sonho poder virar “treinadora” de pokémons, assim como no desenho da série Pokémon, que ela assistia quando criança.

A professora universitária Rídina Motta, de 31 anos, está curiosa para as histórias engraçadas que possam surgir após o lançamento no Brasil, mas alerta para as principais dificuldades na hora de caçar pokémons.

“A gente precisa do GPS e da internet para jogar, e todo mundo sabe das condições da internet móvel e dos sinais das operadoras em Maceió e no Brasil. Na orla tem rede WiFi aberta e fica mais fácil, mas em outros pontos da cidade, o jogo vai ficar caindo. Sem contar as chances de ser roubado, porque o ‘Pokémon Go’ realmente prende sua atenção no aparelho celular, ou seja, a atenção no que está acontecendo ao redor se perde”, atenta.

O jogo tornou-se um fenômeno e foi lançado em mais de 30 outros países, rendendo recorde à Nintendo no mercado de ações. Especialistas em tecnologia e cultura digital estão suspresos com a repercussão do ‘Pokémon Go’ – e acreditam que o game seja o fenômeno de massa que vai inaugurar uma nova era para a interface homem-máquina.

Turistas 

O lançamento chegou a tempo para os Jogos Olímpicos. A notícia pode deixar muitos turistas e atletas aliviados, a exemplo do ginasta japonês Kohei Uchimura, que recebeu uma fatura de meio milhão de ienes (R$ 16 mil) de roaming por jogar “Pokémon Go” durante sua estadia no Rio de Janeiro.

O campeão mundial e dono de cinco medalhas olímpicas confessou estar viciado no popular jogo para smartphones.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados