PF vai investigar origem de pacotes encontrados no litoral alagoano

Material derivado do petróleo é prejudicial ao meio ambiente e também surgiu em mais seis Estados do Nordeste

PF vai investigar origem de pacotes encontrados no litoral alagoano

Material derivado do petróleo é prejudicial ao meio ambiente e também surgiu em mais seis Estados do Nordeste

Por | Edição do dia 30 de outubro de 2018
Categoria: Notícias, Polícia | Tags: ,,,,


indice

Os 70 pacotes encontrados nas praias do Litoral alagoano serão analisados pela Polícia Federal de Alagoas (PF/AL). Amostras do produto já estão sendo investigas desde a noite desta segunda-feira (29), mas os primeiros resultados de exames laboratórias apontam que o material é feito de polímero, um conhecido derivado do petróleo. A recomendação dos especialistas é que ninguém recolha o material, que pode ser tóxico.

De acordo com o delegado da Polícia Federal, Agnaldo Mendonça,  o primeiro passo vai ser investigar do que se trata e depois buscar a origem dos pacotes.

“A princípio vamos verificar do que se trata e depois vamos verificar a possibilidade de identificar de onde saiu esse material e em que condições ele veio parar na costa de Alagoas”, disse Mendonça.

Ele contou que o a Superintendência da Polícia Federal na Paraíba também está investigado o surgimento do mesmo material em praias da Paraíba e outros estados do Nordeste.

“Nós não temos um prazo específico, mas uma outra Superintendência da Polícia Federal no Nordeste, especificamente a da Paraíba, também recebeu uma cópia desse material. Não do mesmo, mas material semelhante. E lá está sendo produzido um laudo que deve ficar pronto até o final desta semana”, explicou o delegado da PF.

Veja abaixo os estados e a quantidade de pacotes encontrados:

Pernambuco – 11
Paraíba – 9
Rio Grande do Norte – 6
Sergipe – 3
Ceará – 18
Piauí – 33

Os primeiros pacotes surgiram em Alagoas no dia 24 de outubro. Na Barra de Santo Antônio, pelo menos 11 fardos foram recolhidos até esta segunda e os fiscais da prefeitura estão monitorando as praias.

“Na sexta-feira a gente estava fazendo uma busca na praia e detectou uma caixa de couro. Quando a gente chegou começou a encontrar mais”, disse Jarbas Anacleto, fiscal da Praia de Carro Quebrado.

 

Como o material é prejudicial ao meio ambiente, a orientação dos órgãos ambientais é que todos os fardos sejam coletados e armazenados pelas prefeituras até que a origem seja descoberta e os pacotes possam ter destinação correta.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados