PF investiga crimes de corrupção praticados por membros do Poder Judiciário de Alagoas

Operação Pecunia Non Olet cumpre 15 mandados de busca e apreensão

PF investiga crimes de corrupção praticados por membros do Poder Judiciário de Alagoas

Operação Pecunia Non Olet cumpre 15 mandados de busca e apreensão

Por Redação | Edição do dia 4 de novembro de 2021
Categoria: Polícia | Tags: ,,,,


A Polícia Federal (PF) deflagrou a Operação Pecunia Non Olet, nesta quinta-feira (4), para investigar crimes de corrupção possivelmente cometidos por membros do Poder Judiciário de Alagoas. A ação cumpre 15 mandados de busca e apreensão, expedidos pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Alagoas e no Paraná. Um dos alvos da operação é o desembargador Celyrio Accioly, do TJAL.

Celyrio Accioly é um dos investigados na operação. Foto: Divulgação/TJAL

De acordo com a PF, a apuração indica que agentes públicos e advogados intermediaram o atraso de julgamentos e tomaram decisões favoráveis aos interesses de uma empresa privada do ramo da educação, que pagava as despesas do magistrado.

Caso as investigações comprovem as acusações, os envolvidos podem responder pelos crimes de corrupção ativa e passiva, além de advocacia administrativa, quando agentes públicos promovem interesses ilegítimos, solicitando retardamento, ação ou omissão de atos de ofício, em contrariedade aos preceitos e princípios legais.

Em nota, o TJ de Alagoas disse colaborar com a Operação:

“O Tribunal de Justiça de Alagoas (TJAL) recebeu, nesta quinta-feira (4), comissão de delegados da Polícia Federal (PF) que cumpriam mandados de busca e apreensão relacionados a inquérito que tramita no Superior Tribunal de Justiça (STJ). Como parte do sistema de Justiça, a Corte estadual colaborou com a missão dos agentes públicos e viabilizou o acesso aos locais, aos setores e aos documentos necessários à apuração de todas as informações solicitadas”.

 

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados