Petrobras anuncia redução, mas consumidor não sente diferença

Comercializando gasolina anterior ao reajuste, maioria dos postos não baixa preços; distribuidora já fala em novo aumento

Petrobras anuncia redução, mas consumidor não sente diferença

Comercializando gasolina anterior ao reajuste, maioria dos postos não baixa preços; distribuidora já fala em novo aumento

Por | Edição do dia 11 de novembro de 2018
Categoria: Economia, Notícias | Tags: ,,,,,


Reprodução Internet

Quem tem veículo próprio em Maceió está penando para mantê-lo abastecido. Apesar da baixa dos preços nas refinarias, o consumidor ainda não sentiu o impacto no bolso, pagando entre R$ 4,73 e R$ 4,81 por litro do combustível.

A reclamação é geral. Que o diga o autônomo Cícero Domingos. “Estamos fazendo revezamento de carros lá em casa. Eu tenho um e minha esposa outro. Antes cada um saia para fazer sua rota, ela levava as crianças na escola, por exemplo. Agora é uma semana usando um carro e na outra semana o outro. Eu levo a esposa ao trabalho, as crianças na escola e depois vou cuidar das minhas atividades. Abastecer os dois carros toda semana está inviável”, reclama.

                                                                                        (…)

O Serviço de Proteção ao Consumidor da capital, Procon Maceió, fez uma pesquisa de preços a semana passada. A constatação não é nada boa: a gasolina em Maceió ficou R$ 0,47 mais cara entre fevereiro e outro deste ano, variando em média de R$ 4,32 a R$ 4,79. Somente entre junho e outubro foram registradas quatro altas no litro do combustível. Apesar de os consumidores não terem sentido no orçamento alguma redução, o Procon Maceió revela que houve uma queda sutil no preço médio do combustível, de apenas R$ 0,02 durante o mês de outubro.

                                                                                      (…)

O Sindicombustíveis, por sua vez, garante que a entidade não faz nenhum tipo de acompanhamento de preços e, por isso, não temos como precisar questões de reajustes para baixo ou para cima porque é uma questão de mercado, que depende de cada revendedor e de como se dá a sua relação comercial com a respectiva distribuidora.

Mas essa baixa não é motivo de comemoração para os consumidores, que já podiam antever abastecer seus veículos sem pesar tanto no orçamento: é que a Petrobras já anunciou um aumento de 2,3% para os postos. Ou seja, nem sentiram o gostinho da redução, já vão encarar novo reajuste para os próximos dias que, em alguns postos, pode voltar a beirar os R$ 5.

                                                                                      (…)

                     SAIBA MAIS SOBRE ESSE ASSUNTO NA EDIÇÃO DESTA SEMANA DO O DIA ALAGOAS

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados