Pesquisa revela redução na intenção de compra do consumidor

De acordo com os números, a perspectiva de consumo caiu -16,1% entre agosto e setembro

Por | Edição do dia 7 de outubro de 2015
Categoria: Economia, Notícias


A pesquisa sobre a Intenção de Consumo das Famílias (ICF) de Maceió realizada pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC), em parceria com Instituto Fecomércio/AL de Estudos, Pesquisas e Desenvolvimento (IFEPD), revela o pior resultado do ano em setembro: 102,2 pontos.

Quando comparado ao desempenho registrado no mês de agosto (107,9), o indicador apresenta uma queda de 5,3% na intenção de consumo. Já se comparado à setembro de 2014, o recuo é ainda maior: 21%. Para os próximos 12 meses, a tendência é de continuidade do arrefecimento da intenção de compra, o que resulta numa diminuição do ritmo de crescimento do comércio alagoano, principalmente para as pequenas e médias empresas do setor varejista.

Este resultado se alinha à situação de deterioração do endividamento do consumidor no terceiro trimestre do ano. De acordo com a análise do Instituto Fecomércio/AL, a política econômica de ajuste fiscal tem criado um clima desfavorável para os consumidores, uma vez que provoca a recessão econômica com redução dos postos de trabalho e, por consequência, diminuição do nível de renda em circulação.

Caso essa linha de política econômica continue, teremos um dos piores finais de ano das últimas duas décadas para os setores de comércio e serviços do país.

Dados

A pesquisa revela que a perspectiva de consumo teve elevada queda entre agosto e setembro, registrando -16,1%. A intenção de compra de bens duráveis de bens duráveis (geladeiras, fogão, televisores, automóvel etc.) reduziu 5,3%. Esses resultados têm relação direta com a insatisfação do consumidor com o emprego atual, o nível de renda e dificuldades de acessar crédito em razão de seu alto custo no momento.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados