Ossada encontrada em praia de Piaçabuçu passará por exame de DNA no Laboratório do IC

Fragmentos dos ossos com material biológico serão comparados com perfil genético de mãe de jovem desaparecida.

Ossada encontrada em praia de Piaçabuçu passará por exame de DNA no Laboratório do IC

Fragmentos dos ossos com material biológico serão comparados com perfil genético de mãe de jovem desaparecida.

Por Assessoria | Edição do dia 21 de abril de 2021
Categoria: Alagoas, Polícia | Tags: ,,


O crânio encontrado no último domingo (18) e os ossos localizados na manhã de hoje (21) no Povoado Pontal do Peba em Piaçabuçu serão analisados pelo Laboratório de Genética Forense do Instituto de Criminalística de Alagoas. As respostas dos exames de DNA poderão colocar um fim nas buscas pelos restos mortais da jovem Roberta Dias, desaparecida desde 2012.

De acordo com a técnica forense Lourdes Ramires, chefe do setor de DNA do Instituto de Medicina Legal de Arapiraca, após a divulgação do achado do crânio na praia do Pontal do Peba, a senhora Mônica Costa, genitora da jovem desaparecida, esteve no IML do agreste explicando a possibilidade do crânio ser da sua filha e perguntando qual seria o procedimento em relação à identificação oficial. Foi explicado à mãe, que seriam coletadas amostras com material genético, sendo esse material enviado ao laboratório do IC para análise.

“Como a mãe já havia fornecido material genético em outra oportunidade para a realização de um exame de confronto genético dela com um crânio encontrado em 2018. Iremos enviar esses fragmentos da ossada ainda essa semana para que o Laboratório do IC realize o exame de DNA. Inclusive no dia, como tinha só o crânio, explicamos a ela que não cabe ao IML fazer as buscas do restante da ossada, apenas o recolhimento quando acionado pelos órgãos competentes e que caso ela optasse por fazer as buscas por conta própria que acionasse a polícia civil”, afirmou a técnica forense.

Rosana Coutinho, chefe do Laboratório de Genética Forense do IC explicou que assim o material chegar será realizada a extração de material genético desses fragmentos para o confronto genético. Esse material será confrontado com o perfil genético da mãe da jovem Roberta Dias que já se encontra disponível no banco de perfis genéticos do Laboratório.

“Primeiro iremos fazer exames para confirmar se o crânio encontrado no domingo (18) pertence à ossada encontrada hoje, e em seguida faremos o exame de DNA que consiste em comparar o material genético dos fragmentos dos ossos com o material da genitora da jovem desaparecida. Como trata-se de material de ossos antigos e enterrados, o que dificulta a extração do material genético, o prazo para conclusão desse laudo é de 20 a 30 dias a partir do recebimento do material”, explicou a doutora Rosana Coutinho.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados