“Operação Alagoas” realiza novo treinamento e se encerra nesta quinta-feira, 13

Por Redação com assessoria | Edição do dia 13 de agosto de 2020
Categoria: Maceió, Notícias | Tags: ,,


Treinamento simula desabamento parcial de edificação (Foto: Ascom Defesa Civil)

A programa da Operação Alagoas se encerra nesta quinta-feira, 13, após a realização de mais dois treinamentos simulados, que foram iniciados às 8h desta manhã. Os treinamentos estão sendo realizados no bairro Pinheiro, em Maceió, com cenário de evacuação de área e outro na região da Avenida Pierre Chalita, no Barro Duro, com cenário de deslizamento de terra. A operação prevê estabelecer pronta resposta em situações de calamidade pública.

Nesta quarta-feira, 12, o Exercício da Força de Apoio à Defesa Civil fez um simulado de desabamento parcial de edificação, com resgate de vítimas e reuniu diversos órgãos municipais, estaduais e federal.

O treinamento realizado durante a tarde de ontem reuniu equipes do Exército Brasileiro; das Defesas Civis Nacional, Estadual e Municipal; Corpo de Bombeiros; Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu); Polícia Militar; SMTT; Cruz Vermelha e outros núcleos para um atendimento simulado de desabamento de edificação com vítimas. Na estrutura montada no bairro do Pinheiro, foram utilizando entulhos de prédios demolidos na região em decorrência da instabilidade de solo.

“O Sistema Nacional de Defesa Civil é constituído por órgãos e entidades da administração pública federal, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios e deve está sempre se comunicando, treinando e conhecendo a capacidade de cada um dos órgãos. Hoje [ontem] foi realizado um exercício do Exército em apoio as Defesas Civis. Alagoas foi contemplado por conta do registro de desastres naturais, como deslizamentos de terra, enchentes e também o caso do Pinheiro”, explicou Dinário Lemos, coordenador-geral da Defesa Civil de Maceió.

O gestor destacou ainda que o papel da Defesa Civil neste tipo de desastre é de apoio nas ações, auxiliando as agências no atendimento. “A Defesa Civil não faz resgate, atua no apoio às famílias, às vítimas e depois na avaliação dos possíveis prédios vizinhos que venham a colapsar para fazer a evacuação da área”, ressaltou Lemos.

O comandante da 10ª Brigada da Infantaria Motorizado, general Alexandre Cantanhede, explicou que o Exército tem como missão institucional o apoio à Defesa Civil. “Nós temos que estar preparados para este tipo de ação. Então, o Comando Militar do Nordeste teve essa iniciativa e contamos com o apoio e a colaboração de todos os órgãos que aqui estão envolvidos, especialmente a Defesa Civil”, destacou.

“O principal objetivo é buscar esta integração que é fundamental para um problema complexo, cuja solução também é complexa. Então, a gente tem que se conhecer e saber a capacidade um dos outros, iniciar estes planejamentos iniciais de tal forma que, quando venha a ocorrer um determinado desastre, a gente tenha realmente uma pronta resposta que seja adequada e na medida certa. Está sendo extremamente positivo este exercício, estamos nos conhecendo melhor, tivemos um simpósio que foi importante para saber a parte doutrinária e as capacidades de cada um. Posteriormente um apronto operacional, onde conhecemos o material que é empregado por cada um desses órgãos e agências. E agora estamos na prática, onde cada um está empregando a sua verdadeira vocação. Cada um fazendo a sua parte de maneira que tenhamos o resultado esperado, que é a preservação de vidas”, detalhou o general.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados