No primeiro dia de audições, IV Festival em Cantos de Alagoas mostrou diversidade da música autoral no estado

Realizada na segunda-feira (8), noite de abertura contou com a participação de 15 artistas de todo o estado; evento tem sequência nesta terça (9) e quarta (10), a partir das 20h, com entrada gratuita, no Teatro Gustavo Leite

No primeiro dia de audições, IV Festival em Cantos de Alagoas mostrou diversidade da música autoral no estado

Realizada na segunda-feira (8), noite de abertura contou com a participação de 15 artistas de todo o estado; evento tem sequência nesta terça (9) e quarta (10), a partir das 20h, com entrada gratuita, no Teatro Gustavo Leite

Por Assessoria | Edição do dia 9 de novembro de 2021
Categoria: Alagoas, Cultura | Tags: ,,,,,,,


Diversidade e muita musicalidade. Assim foi o primeiro dia de audições do IV Festival de Música Popular Em Cantos de Alagoas. A banda Artehfato abriu o evento e, ao todo, 15 artistas se apresentaram na segunda-feira (8), no palco do Teatro Gustavo Leite, em Jaraguá.

Da MBP ao pop-rock, os artistas levantaram a plateia com músicas autorais e cheias de inspiração. Atenta a cada nota, a comissão julgadora pôde atribuir notas de 0 a 10, a partir dos seguintes critérios: melodia, letra, afinação, ritmo, interpretação, performance e arranjo.

Para o Superintendente de Fomento e Apoio à Produção Cultural da Secult, Milton Muniz, o festival é como uma grande vitrine da música alagoana atual. “É um evento dedicado exclusivamente ao músico alagoano. Para nós, da Secult, é muito gratificante poder fazer tudo isso acontecer”, disse.

Pela segunda vez no festival, Gama Júnior trouxe sua essência na canção “Ynaê”, e contou que “participar do festival Em Cantos foi megaemocionante, pois, depois de tanto tempo longe dos palcos e sem sentir o calor do público, foi de extrema importância e satisfação. Uma verdadeira celebração da música alagoana, e ainda puder homenagear a minha vozinha, que está em outro plano, foi mágico. Agradeço a Secult por nos proporcionar esse momento. Salve a música alagoana”, comemorou.

Vestido de cangaceiro, o artista Gil Neves também mostrou seu talento ao cantar uma letra escrita por seu pai. “Dança Diferente é uma composição de meu pai relatando a cultura nordestina. A escolha dessa música foi justamente para contar um pouco da história do xaxado, que foi criado pelos cangaceiros de lampião, e do orgulho nordestino que corre em minhas veias”, revelou.

A secretária de Estado da Cultura, Mellina Freitas, também demonstrou apoio aos participantes. “A primeira noite de apresentações foi muito satisfatória. Os artistas vieram alegres e irreverentes. Parabéns a eles e a toda a nossa equipe que fez esse evento lindo para a população alagoana”, destacou.

Confira as apresentações de ontem na íntegra pelo nosso canal do YouTube. O festival tem sequência terça (9) e quarta-feira (10), a partir das 20h, no palco do Teatro Gustavo Leite. A entrada é gratuita, mas com transmissão ao vivo pela canal da Secult, também no YouTube.

Confira a programação da noite desta terça-feira (9):

Show de abertura
May Honorato

Competição

Ítallo França – “Para Anastácia”

LoreB – “Carne Barata”

Serafim – “Sururu fresco”

Barbara Castelões – “Dezembro”

Alberto Germano – “Prazer, eu me chamo o forró”

Rodrigo Avelino – “Bendizer”

Mario do Forró – “Morar na lua”

André Rodrigues e Monotrama – “Sob o sol”

Igor Machado – “Não me limite a você”

Yana Calheiros Ramos – “Eu canto o samba”

ManuDí – “Bairro do Pinheiro”

Mago Véio – “Poetas que cantaram o mar, mas que nunca o avistaram”

Laís Guimarães – “Contramão”

Pagolada – “Bicho grilo”

Jotta Erry – “Sentimentos”

ÔTOSDOIS – “O que há depois do fim (Não deixe para depois)”

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados