Mulheres realizam ato contra o fascismo, machismo, racismo e a LGBTfobia neste sábado

Mulheres realizam ato contra o fascismo, machismo, racismo e a LGBTfobia neste sábado

Por | Edição do dia 28 de setembro de 2018


Sandra Lira está entre os organizadores

Sandra Lira está entre os organizadores

No dia 29 de setembro as mulheres brasileiras vão às ruas, indignadas contra o ataque retrógrado dos que avançam na misoginia e no obscurantismo e sonham com a volta da Idade das Trevas em pleno século XXI. o Ato  – Elas marcham e dizem #EleNão! #EleNunca! -, acontecerá a partir das 15h com uma caminhada do Alagoinhas ao Posto 7 (Pajuçara-Jatiúca).

De acordo com a professora do Centro de Educação da UFAL e candidata a deputada estadual pelo Partido dos Trabalhadores (PT), Sandra Lira, os movimentos de Mulheres e os movimentos LGBTI+ estão unificados e  conquistaram a adesão de outros  movimentos   organizados da sociedade civil, centrais sindicais, movimentos do campo e da periferia e os movimentos culturais, especialmente os de matriz afro-indígena.

“O ato é a resposta à indgnação das mulheres e da sociedade contra os preconceitos, discriminações e violências perpetradas contra as Mulheres, pessoas LGBTI+, Negros e Indígenas apoiadas pelo candidato que destila Ódio e faz incitação ao crime freqüentemente”, explicou Sandra Lira.

Segundo a Professora Sandra Lira o fracasso e a incapacidade do aparato de Polícias, Ministério Público, Judiciário e Forças Armadas,  em  tratar do avanço do crime organizado que traz sequelas graves e aumento da violência nas periferias e comunidades pobres deixa parte da sociedade desesperada e à mercê de um discurso demagógico e  nazifascista.

Para Sandra Lira, governo forte é o que cumpre e faz cumprir as Leis. E felizmente a máscara do demagogo perigoso está caindo porque a própria chapa tem dado declarações que expõe a índole autoritária e sobretudo, a falta de soluções para a população. “O desrespeito contra as mulheres, especialmente nos últimos atos de campanha dessa candidatura deixam claro que definitivamente o Brasil deve rejeitar o fascismo. #EleNão! #EleNunca !”.

Após a caminhada haverá um Ato show no Posto 7 com artistas que irão representar a diversidade cultural, étnico-racial, de gêneros e de diversidade sexual.

“O candidato do Ódio vende a falsa ideia de que é forte e acabará com a violência e insegurança, aplicando mais violência e violação de direitos. Uma insanidade, que atrai porque há muito medo na sociedade”, finaliza a professora.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados