Mulheres cuidando de mulheres

Pela primeira vez na história, os principais cargos de gestão da Santa Mônica são ocupados por mulheres

Mulheres cuidando de mulheres

Pela primeira vez na história, os principais cargos de gestão da Santa Mônica são ocupados por mulheres

Por Ascom Santa Mônica    | Edição do dia 8 de março de 2021
Categoria: Notícias, Saúde | Tags: ,,


Foto: Ascom Santa Mônica

Neste dia 8 de março, Dia Internacional da Mulher, o mundo presta homenagens às mulheres e ressalta sua importância na sociedade e a luta por seus direitos. Na Maternidade Escola Santa Mônica (MESM) as mulheres ocupam posição de destaque, não apenas enquanto usuárias do serviço prestado, mas nos principais cargos de gestão da maternidade.

Pela primeira vez na história da Santa Mônica, todos os principais cargos de supervisão da MESM têm mulheres no comando. A Supervisão Geral é responsabilidade da enfermeira Elisângela Sanches, eleita no último mês de outubro para o quadriênio 2021-2024. A médica Mychella Alvim é a responsável pela Supervisão Médica, ao lado de Márcia Melo, na Supervisão Administrativa, Graciliana Swarowsky, na Gerência de Docente Assistencial e Marta Antônia de Lima, responsável pela Chefia de Gestão de Pessoas.

Elisângela Sanches fala sobre a história de luta das mulheres para assumir cargos, normalmente ocupado por homens, e das cobranças que ultrapassam àquelas próprias dos cargos. “Eu trago para esse mês da mulher, esse fato histórico para a Santa Mônica, de ter uma direção feminina. É um desafio, já que as mulheres têm carga horária triplicada que incluem casa, família e trabalho. Sermos gestoras de uma unidade de alta complexidade como a Santa Mônica nos traz uma cobrança muito maior, mas, como as mulheres sempre lutaram por seus espaços, eu acredito que com essa direção feminina, com mulheres determinadas, guerreiras e que sabem assumir o seu lugar na sociedade e na Santa Mônica, nós só temos a avançar e a comunidade a receber melhores serviços”, disse Elisângela.

“Somos mulheres trabalhando para cuidar de outras mulheres”, ressaltou a supervisora médica Mychella Alvim e complementou “nós abraçamos um grande desafio ao assumir a maternidade. Chegamos em meio a pandemia juntando os novos desafios com os que já existiam, entretanto o maior desafio é prestar assistência de qualidade às nossas pacientes e ninguém poderia ser mais sensível a isso que outras mulheres”.

Para Márcia Melo, supervisora administrativa, estar na Santa Mônica é uma experiência nova e gratificante. “Em nossa gestão, nós trabalhamos sempre a questão do humano e, agora nessa pandemia, nós estamos vendo que somente com muita humanidade, muito companheirismo, com toda equipe integrada é que vamos conseguir vencer os desafios e a pandemia”. Já Graciliana Swarowsky, gerente docente assistencial, entende que o momento é desafiador “precisamos lembrar que as funções do ensino e da assistência são entrelaçadas e, frequentemente, apresentam relações muito complexas que se refletem em proporções diferentes de importância para o ensino, assistência e pesquisa, e que mudar esses paradigmas objetivando a integração docente assistencial é o principal propósito desta equipe de mulheres gestoras que acredita na indissociabilidade entre ensino, pesquisa e extensão e na importância dessa interlocução entre os espaços de ensino e cuidado. Uma missão desafiadora, mas ao mesmo tempo encorajadora, com esse grupo de mulheres que se integram em pensamentos e ações e acreditam que pode dar certo”, ressaltou.

Marta Antônia, responsável pela Chefia de Gestão de Pessoas, pontua a batalha diária que é estar à frente de uma maternidade pública, com mil e trezentos servidores e com a importância que a unidade tem para a sociedade alagoana. “Nós somos mulheres capazes, tecnicamente capacitadas, cada uma em sua área, tem uma história de muita luta e de muito trabalho na saúde pública. Somos cinco mulheres com perfis diferentes, mas que se agregam, se complementam. Eu acredito que é esse conjunto que já está e continuará fazendo a diferença no hospital”, finalizou Marta.

Antes de serem profissionais atuantes na saúde pública do Estado de Alagoas, Elisângela, Mychella, Márcia, Graciliana e Marta são mulheres, assumindo, com competência e assertividade, papéis de liderança e compromisso com a sociedade alagoana. A Maternidade Escola Santa Mônica tem orgulho das mulheres em sua gestão.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados