Mulheres capelenses realizam a primeira marcha contra o machismo da história da cidade

Manifestação tem sido incentivada depois que muitas mulheres vêm sendo alvo de injúrias por perfis fakes nas redes sociais

Por Assessoria | Edição do dia 6 de outubro de 2020
Categoria: Alagoas, Notícias | Tags:


Cidade da Zona da Mata de Alagoas, Capela ainda é dominada pelo machismo e a misoginia. As campanhas eleitorais reafirmaram o atraso, quando perfis fakes de apoiadores do atual prefeito de Capela, Adelminho Calheiros (MDB), passaram a espalhar imagens de mulheres que declararam apoio à oposição com mensagens chulas e mentirosas.

“O único intuito é tentar desqualificar as mulheres como profissionais, inventando mentiras absurdas e expondo sua vida pessoal de forma distorcida. A pessoa que faz isso não tem coragem de mostrar a cara, usa perfil fake, mas declara apoio ao atual prefeito da cidade”, afirma uma das organizadoras da marcha.
Adelminho Calheiros virou manchete nos jornais de Alagoas e do país em 2018, quando enviou do próprio celular uma mensagem insinuando que a jornalista Thayanne Magalhães, da Tribuna Independente, que na época questionou a falta de aulas nas escolas municipais, insinuando que a mesma não tinha “moral” para exercer seu trabalho por ser “drogada”.

Na época, Ministério Público do Estado e Polícia Civil de Alagoas foram acionados e o então gestor teve que dar explicações dos seus atos.
“As mensagens enviadas pelos perfis fakes este ano contém o mesmo contexto e o português mal escrito da mensagem que recebi em 2018, mas não posso afirmar quem é o responsável. O que sabemos é que o perfil declara apoio ao prefeito e que as mensagens continuam sendo espalhadas. Muitas mulheres e suas famílias estão adoecendo e precisamos dar um basta nessa misoginia”, afirma a jornalista.

“Estou muito feliz pela iniciativa das mulheres de Capela. É muito triste para nós ainda ter que passar por esse tipo de situação absurda. O machismo precisa ter fim. Mulheres não podem ser atacadas de forma gratuita com mensagens tão baixas como as que circulam em Capela. O que mais nos chama a atenção é que nós, mulheres, é que somos atacadas. Esses perfis não mexem com nenhum homem da oposição”, continuou.

A marcha acontece no domingo, dia 11, a partir das 15 horas, com concentração no Parque de Vaquejada da cidade.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados