MPT volta a realizar audiência com rodoviários e empresas de ônibus

Ministério Público do Trabalho aguarda que Município de Maceió apresente algum aporte definitivo para a manutenção do tíquete alimentação e do plano de saúde de trabalhadores; PGM afirmou que estudo técnico sobre o equilíbrio do sistema de transporte tem prazo para terminar no dia 26

MPT volta a realizar audiência com rodoviários e empresas de ônibus

Ministério Público do Trabalho aguarda que Município de Maceió apresente algum aporte definitivo para a manutenção do tíquete alimentação e do plano de saúde de trabalhadores; PGM afirmou que estudo técnico sobre o equilíbrio do sistema de transporte tem prazo para terminar no dia 26

Por Ascom MPT | Edição do dia 22 de março de 2021
Categoria: Maceió, Notícias | Tags: ,,,,,


O Ministério Público do Trabalho (MPT) realizará uma nova audiência de mediação com trabalhadores do transporte coletivo e com empresas de ônibus de Maceió, no próximo dia 29, para encontrar uma solução definitiva que garanta o pagamento do tíquete alimentação e do plano de saúde a cerca de 2500 rodoviários. No mês passado, os trabalhadores decidiram suspendem o movimento grevista após aceitarem um acordo para receber R$ 1 milhão do município – dividido entre os trabalhadores -, como forma de minimizar a falta de pagamento do tíquete de janeiro.

O procurador do MPT Luiz Felipe dos Anjos, que conduz a mediação, e o procurador-chefe Rafael Gazzaneo, que também acompanha as negociações, aguardam que o Município de Maceió conclua um estudo técnico que está sendo realizado para se buscar o equilíbrio do sistema de transporte. De acordo com a Procuradoria Geral do Município (PGM), o prazo de conclusão do estudo termina na próxima sexta-feira, 26.

Na próxima audiência, o Ministério Público do Trabalho aguarda que o município apresente alguma proposta concreta de pagamento de subsídio ou outro aporte que permita às empresas manterem o pagamento dos benefícios aos trabalhadores. De acordo com o procurador Luiz Felipe, o diálogo deve ficar sempre aberto para a negociação, a fim de que os envolvidos encontrem uma solução. O procurador-chefe Rafael Gazzaneo também defendeu o acordo entre as partes, ao lembrar que os estudos não são imediatos e, possivelmente, demandam a edição de leis para que a solução entre em vigor.

No último encontro para tratar do assunto, realizado na sexta-feira, 19, o Sindicato dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários (Sinttro/AL) informou que a operadora do plano de saúde contratada pelas empresas deu prazo até 1º de abril para receber o pagamento de, pelo menos, um mês em atraso, para que o serviço não seja cancelado. A categoria apelou para que o setor patronal desconte o valor do plano dos salários dos rodoviários, para viabilizar o pagamento à operadora.

Já o Sindicato das Empresas de Transportes Urbanos de Passageiros (Sinturb/MAC) afirmou que levará à categoria patronal a proposta de descontos dos salários dos trabalhadores, para o pagamento do plano de saúde, e disse que os descontos devem ser autorizados pelos rodoviários, por não haver Convenção Coletiva de Trabalho (CCT) em vigor. O sindicato defendeu que a injeção de dinheiro pelo Município de Maceió deve ser maior que a anterior e ressaltou que, se não houver uma solução, haverá dificuldade para o pagamento de salários.

A reunião marcada para o dia 29 de março acontece às 9h30, por videoconferência.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados