Boa Tarde!, Sábado - 7 de Dezembro de 2019

 

MPT e Slum realizam debate para a geração de trabalho e renda na coleta seletiva

Assessoria / 12:17 - 09/09/2017

Audiência reunirá as 57 maiores empresas geradoras de resíduos, onde 12 empresas serão homenageadas por contribuírem com a coleta seletiva


O Ministério Público do Trabalho (MPT) em Alagoas e a Superintendência de Limpeza Urbana de Maceió (Slum) realizam audiência pública, na próxima quarta-feira, 13, para debater a responsabilidade socioambiental na reciclagem de resíduos sólidos por empresas e cooperativas locais. O evento será realizado às 9h, no Sebrae Alagoas, e aberto a toda a sociedade.

O principal objetivo da audiência pública “A Coleta Seletiva e a Responsabilidade Compartilhada: A Lei 12.305/2010, os Grandes Geradores e a Inclusão das Organizações de Catadores de Materiais Recicláveis” é conscientizar as 57 maiores empresas geradoras de resíduos sobre a importância de firmarem parcerias com as cooperativas, para a geração do trabalho e renda e promoção do desenvolvimento sustentável em Alagoas. O trabalho conjunto permitirá aos cooperados recolher os materiais recicláveis provenientes dos resíduos das empresas, facilitando um novo uso para o conteúdo, sem danos ao meio ambiente e gerando ganho para a comunidade por meio do fomento de novos postos de trabalho.

coleta-seletiva2

Durante a audiência pública, a procuradora do Trabalho Margareth Matos, lotada no Paraná e coordenadora executiva do Fórum Lixo e Cidadania do MPT, conduzirá a palestra sobre a Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010) e a participação das associações e cooperativas no processo. Na ocasião, 12 empresas serão homenageadas por contribuírem com a parceria e compromisso firmado com a coleta seletiva.

As empresas homenageadas serão: Felícia Festas, Sescoop/OCB, Uniodonto, Iloa Resort, Hospital Universitário, Orákulo, Maikai, Leroy Merlin, Best Western Premier, Pousadas da Rota Ecológica, Shopping Farol e Sicredi.

A procuradora do Trabalho Adir de Abreu, responsável por buscar, no Ministério Público do Trabalho, a promoção da dignidade para as cooperativas, destaca a importância da atividade para os cooperados. “Estamos num momento em que a sociedade deve entender que lixeiro é quem produz lixo, coletor é quem coleta, e a coleta é de resíduos sólidos. Temos coletores, ou seja, essa atividade é uma profissão que é digna e merece todo o respeito. Não podemos entender o trabalhador coletor como um ser invisível de direitos e obrigações”, ressalta.

A audiência pública será realizada em parceria com o projeto Ser + Realizador – iniciativa da Braskem e Sebrae Alagoas –, com a Unitrabalho Ufal e com o Centro de Educação Ambiental São Bartolomeu (CEASB).


Comentar usando