MPF recomenda adoção de providências por Município de Maceió e IMA para educação ambiental

Equipamentos de proteção individual descartados estão poluindo praias

MPF recomenda adoção de providências por Município de Maceió e IMA para educação ambiental

Equipamentos de proteção individual descartados estão poluindo praias

Por Ascom MPF | Edição do dia 26 de março de 2021
Categoria: Meio Ambiente, Notícias | Tags: ,,,


Os prejuízos que a pandemia trouxe à humanidade são inúmeros e vão além das vidas humanas. O descarte inadequado dos equipamentos de proteção individual necessários ao enfrentamento da Covid-19 estão poluindo ainda mais mares e rios, provocando danos que podem ser irreversíveis ao bioma marinho, como flagrado na Praia da Avenida, em Maceió (AL).

Por isso, o Ministério Público Federal (MPF) expediu recomendação ao Município de Maceió, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Territorial e Meio Ambiente (SEDET) e da Superintendência Municipal de Desenvolvimento Sustentável (Sudes), bem como ao Instituto do Meio Ambiente de Alagoas (IMA), órgão estadual, para que adotem providências de educação ambiental quanto ao descarte adequado e responsável dos equipamentos de proteção contra o coronavírus.

De autoria da procuradora da República Juliana Câmara, a recomendação foi expedida no âmbito do procedimento preparatório nº 1.11.000.000634/2020-85, instaurado para apurar a informação de poluição na Praia da Avenida, nas proximidades do Riacho Salgadinho, no bairro do Centro, decorrente do surgimento de máscaras e luvas utilizadas na prevenção e combate à pandemia de COVID-19 após as chuvas que caíram em Maceió, em junho de 2020, como divulgado por diversos veículos de comunicação local.

Assim, o MPF recomenda à Sedet e à Sudes que desenvolvam ou potencializem ações de educação ambiental específicas para o atual cenário pandêmico suportado, bem como a disponibilização de recipientes adequados ao descarte de EPI’s nas zonas de praia. Ao IMA, recomenda-se a inclusão em seu programa de educação ambiental ações específicas em relação à destinação, tratamento e gestão de instrumentos/resíduos decorrentes do combate à disseminação do vírus SARS-CoV2 (COVID-19) e suas variantes, tais como máscaras, luvas, e outros equipamentos análogos.

“O objetivo é proporcionar mais informações à população acerca do descarte correto desses itens, sobretudo de máscaras, a fim de salvaguardar a garantia de um meio ambiente equilibrado”, ressaltou a procuradora da República Juliana Câmara na recomendação expedida.

Sedet, Sudes e IMA têm 20 dias para informar expressamente se acatam esta Recomendação e quais as providências adotadas.

Confira a íntegra da Recomendação nº 01, de 12 de março de 2021.

Deixe uma resposta

Publicidade
 
 
Publicidade

2019 O dia mais - Todos os direitos reservados